Estado licitará obras emergenciais no aeroporto do Vale do Aço até sexta

REDAÇÃO – A Secretaria de Estado de Transporte e Obras Públicas de Minas Gerais (Setop) publicará, até o próximo dia 22, um processo licitatório, em forma de carta convite, para a reforma emergencial da pista do Aeroporto do Vale do Aço, em Santana do Paraíso. A informação foi repassada ao JBN pela deputada estadual Rosângela Reis (Podemos) e pelo deputado Celinho do Sinttrocel PCdoB), após encontro em Belo Horizonte com o vice-governador Paulo Brant.

Ao vice-governador Paulo Brant, a deputada Rosângela Reis relatou a paralisação dos voos comerciais pela companhia Azul, devido as condições da pista de pouso e decolagens. Ao todo, foram identificados 14 pontos de ondulação no pavimento. A parlamentar solicitou apoio do Governo do Estado. Brant informou já acompanhar a situação e se comprometeu a se empenhar pelo Vale do Aço. Por meio da chefia de gabinete da Setop, foi anunciado o processo licitatório até a próxima sexta-feira.

A deputada estadual Rosângela Reis (Podemos), com o vice-governador Paulo Brant

Após a publicação da licitação, as empresas terão 15 dias para se manifestarem se aderem ou não ao processo e em seguida se dá início as obras, estimadas em aproximadamente em R$ 400 mil e devem durar cerca de 15 dias. “Conheço o Vale do Aço e sei dos problemas que a região enfrenta. Estamos tentando equacionar e, se Deus quiser, vamos resolver rapidamente”, afirmou Paulo Brant.

O problema de logística do Vale do Aço também pautou o discurso de Rosângela Reis durante a reunião ordinária no plenário da Assembleia Legislativa nesta terça. “Também pedimos o apoio ao Governo do Estado para viabilizar uma Parceria Público Privada (PPP) ou outro tipo de investimento, por meio da União, que possibilite a reforma definitiva do aeroporto, com projeto já pronto, no valor de R$ 12 milhões. Precisamos resolver a questão rápido, pois a obra emergencial teria uma validade de pouco menos de um ano”, afirmou Rosângela Reis.

Interdição pela ANAC

O deputado Celinho do Sinttrocel com o vice-governador Paulo Brant

O Aeroporto Regional do Vale do Aço chegou a paralisar totalmente os voos na última terça-feira, após uma vistoria de técnicos da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Eles adiantaram que podem pedir a interdição total do local, em função das condições da pista de pouso e decolagens, inviabilizando também os voos regionais pelo programa Voe Minas, que faz a ligação da região ao aeroporto da Pampulha, em Belo Horizonte.

Os deputados chegaram a pedir ao vice-governador o apoio para pressionar o órgão federal – ANAC, a não publicar, no Diário Oficial da União, a interdição da pista. O motivo é que, em reunião com a parlamentar na manhã dessa terça, o diretor do programa Voe Minas, Willer Furtado, garantiu a operacionalidade dos voos realizados, a aeronave modelo Cessna 208 Caravan, mesmo nas atuais condições da pista.

No encontro, realizado na Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), a deputada Rosângela Reis e o deputado estadual Celinho do Sinttrocel, solicitaram ao diretor Willer Furtado, a ampliação dos voos regionais pelo Voe Minas para minimizar os impactos da perda dos voos comerciais da Azul.

O diretor Willer Furtado, informou aos deputados que a obra emergencial também não afetaria a continuidade dos voos do Voe Minas, em função das aeronaves terem capacidade de pousarem e decolarem em trechos menores de pavimento e até em terrenos mais deteriorados, sem prejuízo para a segurança dos passageiros. No entanto, com a interdição total, é preciso aguardar a liberação da Anac.

Os voos pelo programa Voe Minas ocorriam às segundas, quartas e sextas-feiras, ao preço de R$ 350 (segunda e quarta) e R$ 370 (sexta). O avião oferece até nove lugares para passageiros. A proposta é que os voos sejam diários e com alteração de horários para melhor atender a demanda do Vale do Aço.

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *