Instituto apresenta diagnóstico para ampliação da coleta seletiva de Timóteo

TIMÓTEO – O auditório da Prefeitura de Timóteo recebeu nesta quarta-feira (19) o Seminário de Apresentação do Diagnóstico das Propostas para a Escolha Alternativa a ser Adotada na Coleta Seletiva no município. No fim de março, o prefeito Douglas Willkys assinou a adesão a um convênio (048/2018) com a Fundação Estadual de Meio Ambiente (Feam) para a implantação e ampliação de coleta seletiva no município. A gestão do convênio é feita pelo Instituto de Gestão de Políticas Sociais – Gesois, parceiro da Feam.

A apresentação do diagnóstico foi feita pela engenheira ambiental e analista do Instituto Gesois, Josiana Gonçalves de Souza. O diagnóstico foi precedido de um estudo gravimétrico feito na sede da Associação os Catadores de Materiais Recicláveis de Timóteo (Ascati), parceira da iniciativa. O estudo apontou a quantidade de resíduos gerados e qual o potencial de recuperação. Do material coletado foi constatado que 54% dos resíduos gerados podem ser tratados ou destinados à reciclagem.

Outro dado revelado no seminário foi o de que 44,24% do território de Timóteo é coberto pela coleta seletiva. De acordo com o levantamento, o município gera 45 toneladas de lixo por dia o que dá uma média diária de 0,55 quilos/dia por habitante. O montante é muito inferior à média nacional que é de 166 mil toneladas/dia, sendo 0,95 quilos/dia por habitante.

Diante desses números ficou claro que o município tem muito a se desenvolver nessa área. Entre as iniciativas para ampliar a coleta estão a instalação de pontos de entrega voluntária de material reciclável nos bairros Primavera e Alegre e no distrito de Cachoeira do Vale. A coleta seletiva também será reforçada com a liberação de um segundo caminhão coletor que auxiliará os catadores da Ascati no processo de recolhimento nos bairros onde já existe o serviço.

A gestora técnica da Ascati, Renata Soares Paranhos, elogiou o convênio do Município com a Feam que vai contribuir com a ampliação do material coletado e com isso melhorar o rendimento dos profissionais e a inserção de catadores autônomos na cooperativa. “Felizmente temos uma boa parceria com a atual gestão da Prefeitura de Timóteo que tem dado todo o apoio e vai colocar mais um caminhão para auxiliar a nossa atividade. Isso vai aumentar muito a quantidade de material coletado e melhorar o salário dos catadores”, comemorou Renata.

Para a subsecretária municipal de Meio Ambiente de Timóteo, Lucília Moraes, um dos pontos positivos do diagnóstico é o fato de que Timóteo não possuía nenhum estudo sobre a coleta seletiva. Um dos encaminhamentos a partir desse seminário é a ampliação da coleta seletiva nos bairros onde o trabalho já é feito e a divulgação dos pontos de entrega voluntária no Alegre, Primavera e Cachoeira para a população deixar o material reciclável nesses locais. O município também dispõe de contêineres próprios para a coleta de recicláveis espalhados por vários bairros da cidade.

O secretário municipal de Planejamento, Urbanismo e Meio Ambiente, Fabrício Araújo, por sua vez, reforçou que a coleta seletiva é um instrumento não só para melhorar a gestão ambiental, mas também para a geração de emprego e renda. “Estamos trabalhando para maximizar a coleta seletiva e a destinação e tratamento dos resíduos sólidos no município”, citou Fabrício, para quem a coleta seletiva é eficaz para diminuir o passivo ambiental e utilizá-los como um indutor de geração de riqueza para o município.

 

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *