PUXADINHO NO CEMITÉRIO: Câmara cria comissão de fiscalização a partir de matéria publicada pelo JBN

TIMÓTEO – A reclamação de uma proprietária de um jazigo no Cemitério Jardim da Saudade, no Bairro Santa Maria, em Timóteo, publicada no dia 9 de novembro do ano passado pelo Jornal Bairros Net (JBN), provocou um debate importante na Prefeitura e Câmara Municipal, quanto à organização e venda de túmulos nos cemitérios da cidade. A situação sempre esteve “a deus dará” sem nenhuma fiscalização dos órgãos competentes. Clique e Leia matéria relacionada com o assunto.

Gualberto é quem propôs a criação da comissão de fiscalização das denúncias no Cemitério Jardim da Saudade.

No Cemitério Jardim da Saudade o que perdura é a lei do mais forte e do mais influente. A reportagem do Jornal Bairros Net foi conferir denúncias de que a Prefeitura estaria permitindo puxadinhos nas quadras na parte baixa do cemitério visando abrir espaços para beneficiar novos compradores de túmulos. Jazigos mais antigos adquiridos a peso de ouro, com a frente para as vias de trânsito dentro do cemitério, estariam com suas áreas reduzidas para dar lugar a novos vizinhos.

As calçadas a frente dos jazigos estão sendo vendidas para novos proprietários, subindo assim o tom das reclamações e denúncias.

Nesta terça-feira (20), atendendo ao requerimento do vereador Geraldo Gualberto (PSDB), foi criada uma comissão especial para fazer uma visita no Cemitério Jardim da Saudade, visando apurar denúncias envolvendo irregularidades apontadas na gestão do cemitério, como duplicidade na venda de terrenos, invasões e dentre outras.

O vereador Geraldo Gualberto disse que desde a reportagem do JBN e de outras denúncias recebidas, propôs a  criação da comissão para fiscalizar a situação. “Recebemos muitas informações sobre irregularidades, como roubo de placas, sepulturas sem corpos, venda de terrenos e dentre outras. Durante a visita já pudemos constatar a veracidade de algumas delas, mas outras só poderão ser esclarecidas ao longo do trabalho”, revelou o vereador, contando que a família da senhora Aparecida Botelho adquiriu em 20 de setembro de 1998 uma área da Prefeitura de Timóteo dentro do cemitério pelo valor de R$ 7.800,00. O espaço conforme recibo se “estendia até o meio fio”. A reclamante e familiar, segundo explicou Gualberto, ao visitar o túmulo, deparou com a construção de outro túmulo de “maneira irregular”. A irregularidade denunciada já foi admitida pela própria prefeitura.

Gualberto adiantou também, que o resultado da visita será encaminhado à prefeitura, juntamente com algumas sugestões para contribuir com a organização do local. Também fazem parte da comissão, além do vereador Gualberto, os vereadores Adriano Costa Alvarenga e Geraldo Moreira Nanico.

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *