FAIXA AZUL DE TIMÓTEO: Novo sistema digital entra em operação no mês de dezembro

TIMÓTEO – A partir do próximo mês de dezembro, o Faixa Azul de Timóteo, implantado em 2014, será modernizado. Os usuários contarão com um sistema de estacionamento totalmente digital. O novo sistema garantirá o direito ao motorista de estacionar por 10 minutos sem a obrigação de efetuar qualquer pagamento.

O sistema continuará sendo administrado pelo Instituto  Maçônico de Projetos Sociais – IMAG, com a fiscalização online da Prefeitura Municipal de Timóteo. Serão disponibilizadas 600 vagas de estacionamento. Os idosos devidamente credenciados pelo município continuarão tendo o direito na isenção.

A implantação do sistema digital se dará pelo fundo de caixa do próprio Instituto Maçônico, e será mensalmente custeada pela cobrança do rotativo.

Para saber mais acesse aqui o website do serviço.

ENTENDA O CASO

Todas as melhorias no Faixa Azul foram exigências da Administração Municipal nos primeiros dias de governo.

Nos primeiros dias de governo do prefeito Douglas Willkys, pela primeira vez após implantação do Estacionamento Rotativo de Veículos – Faixa Azul, em 2014, o Instituto Maçônico de Gestão de Projetos Sociais (IMAG), entidade responsável pelo funcionamento do estacionamento, foi chamado para apresentar melhorias na prestação de serviço.

Com o relato de inúmeras reclamações de usuários, a Prefeitura notificou o Instituto Maçônico. Um dos pontos que originou a notificação foi a marcação de novas vagas sem a comunicação prévia à Administração municipal. O instituto foi advertido a não promover qualquer intervenção de sinalização na cidade sem a autorização da Prefeitura.

Após a notificação, a diretoria do IMAG foi recebida na Prefeitura de Timóteo para discutir alguns pontos considerados fundamentais.

APLICATIVO E FIM DOS 10 MINUTOS

Desde então, o prefeito Douglas Willkys exigiu a revisão de  questões como alteração do plano de trabalho do IMAG; a modernização do atendimento com o investimento pela entidade nos equipamentos e sistema de informática; alteração do modelo de fiscalização, com a liberação de 10 minutos sem a necessidade de aquisição do talão. A implantação da modalidade de fracionamento do pagamento por horário também foi indicada para a entidade.

Outro assunto abordado é que seja investido um percentual da arrecadação em ações voltadas para o trânsito, bem como a destinação do saldo financeiro para uma entidade beneficente específica ou a ser escolhida por meio de edital.

Douglas também exigiu que a prestação de contas referente à arrecadação com o Faixa azul seja pública e nos mesmos moldes das demais entidades que possuem vínculo com o poder público municipal.

 

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *