Copasa é chamada a se explicar e resolver de vez a falta de água no Macuco

O prefeito Douglas Willkys autorizou a Copasa a usar uma área pública para a perfuração de um novo poço para atender o Macuco. A obra começa na próxima segunda-feira.

TIMÓTEO – O prefeito Douglas Willkys chamou a Companhia de Saneamento Básico de Minas Gerais (Copasa), nesta segunda-feira (12), na prefeitura, para uma conversa em definitivo sobre o problema de abastecimento de água em Timóteo. Inicialmente, a reunião serviu para os representantes da Copasa apresentar o programa Pró Manancial, iniciativa que atua na recuperação de nascentes com a participação de vários segmentos da sociedade. Timóteo, ao lado de outros municípios, integra o projeto.

O encontro na sede da Prefeitura de Timóteo, contou com a presença do prefeito Douglas Willkys, do secretário de Obras, Sérgio Martins, vereadores, o gerente distrital da Copasa no Vale do Aço, Rodrigo Ferreira Coimbra e Silva, e os funcionários do setor de atuação socioambiental da companhia, Regina Magda de Sá e Djalma Alves Ribeiro.

Desabastecimento

Após a explanação do programa, o gerente Rodrigo Ferreira recebeu uma série de questionamentos sobre as ações da empresa para resolver a falta de água no bairro Macuco. Além do Macuco, os bairros Ana Rita e Santa Cecília também têm enfrentado problemas de abastecimento.

Durante o encontro, o prefeito Douglas Willkys solicitou ao gerente distrital um cronograma de trabalho para minimizar a falta de água no Macuco. Na quarta-feira da semana passada foram realizadas duas reuniões para tentar agilizar a questão. Nesse mesmo dia o prefeito Douglas Willkys autorizou a Copasa a usar uma área pública para a perfuração de um novo poço para atender o Macuco.

Segundo informou Rodrigo Ferreira, a Copasa deve iniciar a perfuração do poço na próxima segunda-feira, dia 19, após protocolo de licenciamento para a execução do serviço. A partir daí, a previsão é de que seja necessária mais uma semana para normalizar o abastecimento. Em face disso, o prefeito solicitou que a Copasa coloque um carro de som para informar os moradores sobre o andamento dos serviços, haja vista que a ausência de informações tem sido uma das críticas feitas pelos moradores.

Outra solicitação é a destinação de mais caminhões pipas para fornecer água tratada para as comunidades prejudicadas. Douglas adiantou que o Município está contratando mais dois caminhões pipas em regime emergencial para atender as famílias, cujas residências estejam sem água e pediu que a Copasa também se empenhasse na solução desse grave problema.

 

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *