Obra da adutora segue com recomposição do piso e instalação de tubos na rua Lincoln Byrro

REDAÇÃO – A Fundação Renova está implementando medidas para dar continuidade à obra da adutora de maneira eficiente e com qualidade, com o objetivo de garantir a entrega. Para isso, a Fundação vai utilizar empresas com contratos vigentes sob demanda, já mobilizadas, para dar continuidade às obras no trecho urbano até a conclusão do processo de contratação das empresas que finalizarão a construção.

A obra segue em andamento, com a recomposição do piso (bloco intertravado) dos trechos da rua Lincoln Byrro, no bairro Vila Bretas, que já receberam a tubulação da adutora, e a instalação de tubos, na mesma rua, porém, no bairro São Paulo.

A Fundação Renova trabalha para que não haja nenhuma paralisação e, caso seja necessário, que ela seja no menor tempo possível e reitera que tem total compromisso com a ética, deixando claro que todos os seus compromissos contratuais estão sendo cumpridos.

Andamento da obra

Atualmente, mais de 1.000 metros de tubulação foram instalados no trecho urbano, somando-se aos mais de 14 quilômetros concluídos em toda a extensão da obra, que tem um total de 38 quilômetros.

Na zona rural, importantes etapas também foram finalizadas, como a estrutura das travessias sob a linha férrea, e outras estão em andamento. A obra já tem a liberação para captação de água no rio Corrente pelo Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam).

Adutora

A adutora vai fornecer a Governador Valadares uma nova captação de água no rio Corrente Grande. Em operação, ela terá capacidade de aportar, quando necessário, até 900 litros de água por segundo nas Estações de Tratamento de Água (ETAs) Central, Santa Rita e Vila Isa.

A obra é conduzida pela Fundação Renova e executada em campo por empresas especializadas e com experiência nesse tipo de atividade, que atuam em toda a extensão da adutora. As atividades também são supervisionadas pela Prefeitura Municipal de Governador Valadares, pela Câmara de Vereadores e pelo SAAE.

Segurança

A obra segue as orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS) para evitar a propagação do novo coronavírus. Todas as atividades em campo seguem medidas de segurança, como aferição diária da temperatura dos colaboradores, distância mínima de 2 metros, uso obrigatório de máscaras e distanciamento dos moradores e pedestres. A Fundação Renova informa ainda que, a cada 20 dias, 50% do efetivo da obra passa por um teste de Covid-19, ou seja, a cada 40 dias ocorre a testagem de 100% do efetivo da obra da adutora.

Sobre a Fundação Renova

A Fundação Renova é uma entidade de direito privado, sem fins lucrativos, constituída com o exclusivo propósito de gerir e executar os programas e ações de reparação e compensação dos danos causados pelo rompimento da barragem de Fundão.

A Fundação foi instituída por meio de um Termo de Transação e de Ajustamento de Conduta (TTAC), assinado entre Samarco, suas acionistas Vale e BHP, os governos federal e dos estados de Minas Gerais e do Espírito Santo, além de uma série de autarquias, fundações e institutos (como Ibama, Instituto Chico Mendes, Agência Nacional de Águas, Instituto Estadual de Florestas, Funai, Secretarias de Meio Ambiente, dentre outros), em março de 2016.

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *