terça-feira, março 5, 2024
DestaquesEducação

Volta às aulas em Fabriciano em plena pandemia está nas mãos do Ministério Público

Fabriciano – A Comunicação Interna nº 028/2020 da Secretaria Municipal de Educação, dirigida aos diretores da rede municipal de ensino de Coronel Fabriciano, repercutiu negativamente entre professores, alunos e familiares na tarde desta sexta-feira (15). Segundo o documento, as aulas presenciais voltam no próximo dia 25 de maio, em plena pandemia de Coronavírus.

Através da CI, a Secretaria convocou todos os servidores para retornarem às atividades escolares: Auxiliares de Serviços da Educação (ASE’s) retomaram o trabalho de limpeza das Escolas nesta sexta-feira (15); professores e demais servidores foram chamados para retornar ao trabalho segunda-feira, dia 18; e os alunos com aulas presenciais a partir do dia 25.

Na tarde desta sexta-feira, o vereador Marcos da Luz (PT) (foto), que tem liderado um movimento na cidade em defesa da comunidade escolar, enviou novo expediente à Promotoria de Justiça informando ter tomado conhecimento das convocações feitas pela Prefeitura e pedindo providências do órgão para proteger os direitos à vida e à saúde, não só da comunidade escolar, mas da população como um todo, já que, em sua opinião, a volta às aulas neste momento poderá acarretar o crescimento da propagação e do contágio da Covid-19.

Subnotificação e ausência de testes

Conforme Boletim Epidemiológico Diário, Coronel Fabriciano possui 600 casos notificados e 09 casos confirmados de Coronavírus. Em Minas Gerais até o momento foram 4.196 casos confirmados e 146 óbitos confirmados, segundo Informe Epidemiológico Coronavírus. “Há que se considerar, ainda, que a subnotificação em Minas Gerais é quatro vez maior que no país. O número real de infectados pela Covid-19 em Minas pode ser pelo menos 16,5 vezes maior, segundo estudos recém divulgados”, ressalta o vereador.

“Sabemos que é difícil fazer uma testagem em massa nesse momento, mas em nossa cidade não se testa nem mesmo os casos suspeitos. Sem dados confiáveis, qualquer ação é um tiro no escuro”, diz.

Estrutura hospitalar insuficiente

No dia 23 de abril o prefeito Dr. Marcos Vinicius (PSDB) recuou sobre a decisão de retorno às aulas no dia 04 de maio, reconhecendo que o sistema público de saúde do Município não está preparado para um possível aumento de casos do Coronavírus: “Em reunião com o Governo do Estado, recebemos a informação que haverá um atraso na entrega dos equipamentos dos novos 59 leitos do Hospital Dr. José Maria Morais. Diante disso, em entendimento com o Governo Estadual, o retorno às aulas será adiado até garantir toda a estrutura hospitalar”, publicou em seu Facebook.

De acordo com Marcos da Luz, “como é de conhecimento público, ainda não foi procedida a instalação de nenhum dos 59 leitos hospitalares prometidos como parte do Plano de Contingência para o enfrentamento à Covid-19 em nosso Município. O que leva a constatação lógica que o sistema de saúde público de Coronel Fabriciano ainda não está suficientemente preparado com estrutura hospitalar adequada para atender as demandas da população local em caso de agravamento da situação epidemiológica, conforme depreende-se da leitura da publicação feita pelo próprio prefeito municipal”.

Surpresa e revolta

 Segundo o parlamentar, ele recebeu nos últimos dias inúmeras mensagens de educadores preocupados com as comunicações enviadas por Whatsapp pela Secretaria Municipal de Educação, sendo que muitos dos servidores convocados se enquadram no chamado grupo de risco. “A convocação repentina da categoria surpreendeu e provocou revolta na maioria dos trabalhadores. Pais de alunos também estão receosos com o risco de seus filhos voltarem às aulas presenciais neste momento de crise da Covid-19”, enfatiza.

Por fim, ele afirmou que espera do Ministério Público uma breve tomada de providências, visando a proteção da saúde e da vida da população.

 

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *