Prefeitos cobram dos governos estadual e federal agilidade na devolução dos testes ao coronavírus

Redação – Os prefeitos da Região Metropolitana do Vale do Aço (RMVA) se reuniram nesta quarta-feira para fazer um balanço sobre o enfrentamento a Covid-19, transmissor do novo coronavírus e sobre a adoção de medidas preventivas nos respectivos municípios.

Reunidos em Ipatinga, os prefeitos Douglas Willkys (Timóteo), Marcos Vinícius (Coronel Fabriciano), o anfitrião Nardyello Rocha e o secretário de Governo Everaldo Ciriaco da Silva, representando a prefeita Luzia de Melo (Santana do Paraíso) redigiram uma carta que expressa o sentimento vivenciado durante a pandemia.

Primeiramente os prefeitos exigem que os municípios da RMVA sejam tratados de acordo com a importância econômica que representam no cenário estadual e federal dando celeridade e maior agilidade às demandas apresentadas para o enfrentamento a Covid-19.

É unânime o entendimento quanto a necessidade do isolamento social, da manutenção do comércio parcialmente fechado e a suspensão das aulas a bem do interesse público e como fundamentais para o sucesso do propósito de evitar a proliferação do vírus, conforme orientação da OMS.

“Independentemente de concordar ou não com o pronunciamento do presidente (Jair Bolsonoro na noite de terça-feira), para mudar o status adorado no enfrentamento ao novo coronavírus, os prefeitos aguardam a publicação de um decreto Federal deliberando sobre: a revogação de decreto presidencial determinando o fim do isolamento social, a volta às aulas, a reabertura do comércio, a garantia de retaguarda aos municípios na estrutura de tratamento dos casos graves de pacientes infectados, bem como a ampliação de leitos de UTI e equipamentos para o tratamento digno de pacientes infectados.

“Se garantirem a ampliação de leitos de UTI suficientes para nossos municípes, concordo com o fim do isolamento social, caso contrário não serei irresponsável de pagar pra ver”, ponderou o prefeito Douglas Willkys, acrescentando que o momento exige serenidade.

No plano estadual, os prefeitos da RMVA reivindicam que o governo de Estado reconheça a importância da região que conta com mais de 500 mil habitantes, priorizando as ações de enfrentamento, agilizando o resultado dos exames encaminhados à Funed, a disponibilização de pelos menos mais 133 leitos de UTI, o fornecimento de pelo menos 200 mil kits de testes rápidos e de equipamentos de EPI’s em quantidade suficiente para atender aos profissionais de saúde.

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *