Prefeitura se defende de denúncia de “fraude na testagem” de material colhido no Sodalício

Timóteo – Na tarde desta segunda-feira (17) foi veiculada em uma emissora de rádio da região, uma denúncia do vereador Adriano Costa Alvarenga, envolvendo a Secretaria de Assistência Social de Timóteo, o Rotary Club de Acesita e a realização do projeto “Corona Zero: Lutando contra o vírus Covid-19”, que realizou testagens nos idosos e servidores do Sodalício Tio Questor. O JBN apurou que o vereador formalizou a denunciar do caso no Ministério Público e Polícia Civil.

Segundo a denúncia “estaria havendo fraudes nas testagens”, onde os frascos contendo o material colhido tinham na etiqueta o nome de outras pessoas. A situação surgiu através de uma servidora pública concursada – após ter sido testada, que gravou a sua conversa questionando o procedimento junto à secretária de Assistência Social, Rosanna Borges.

Na tarde desta terça-feira (18) o JBN questionou a prefeitura de Timóteo sobre a situação, já que a denúncia do vereador deixou além da secretária de Assistência Social, muitas outras pessoas na ‘saia justa’.

Em nota, a prefeitura informou ao JBN que o assunto denunciado não corresponde à realidade. Segundo ela, no último mês de maio, o Rotary realizou o cadastro de pessoas do Sodalício Tio Questor para fazer os testes de swab nasofaringe dentro do projeto Corona Zero. Todas as etiquetas com os nomes das pessoas a serem testadas, bem como a análise laboratorial do material coletado foram feitas em São Paulo pelo Rotary, haja vista que essa é uma ação realizada em todo o território nacional.

Continuando, o município esclareceu que entre os meses de maio e a primeira semana de agosto, quando o material nos internos e servidores do Sodalício foi coletado, alguns funcionários públicos bem como idosos já tinham sido testados, o que resultou em uma sobra de kits.

“Para não perder esses testes, os próprios diretores do Rotary Club de Acesita sugeriram a inclusão de novas pessoas em substituição àqueles que já haviam sido testados. Dos 70 kits que vieram de São Paulo para serem utilizados em Timóteo, foram devolvidos 24 sem uso. A entrega, armazenamento e recolhimento dos kits foram executados pelo próprio Rotary Club de Acesita, cabendo às técnicas da Secretaria de Saúde apenas a coleta do material a ser analisado”, garantiu a nota.

Por fim, a prefeitura ressaltou que não tem fundamento à informação de que teria havido a adulteração ou manipulação de testes como tentativa de camuflar dados de contagem de exames positivos para coronavírus relacionados ao Sodalício Tio Questor.

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *