Boicote da sessão remota da Câmara de Timóteo, rendeu acusações contra o presidente Prof. Diogo

Vereador Fábio Campos Binha. “Decidimos, eu e os colegas Raimundinho, Alexandre Maria e Zizinho, comparecer pessoalmente no plenário da Câmara onde abordamos o Professor Diogo para reforçar a nossa indignação e que não concordávamos com a sua decisão unilateral, pra não dizer autoritária”

Timóteo – Em resposta ao que publicou o presidente da Câmara de Timóteo, professor Diogo Siqueira, informando do boicote por parte dos vereadores da sessão remota que deveria ter ocorrido nesta quarta-feira (29), quando também disse que “fui surpreendido com a atitude de alguns vereadores que terminantemente se recusaram a participar da reunião remota que havia sido convocada”, o vereador governista Fábio Campos Binha (PSB), elevou o tom nesta quinta-feira (30).

O vereador Binha disse que recebeu “com surpresa e indignação às críticas do vereador Professor Diogo, presidente da Câmara de Timóteo, aos demais vereadores por causa da nossa ausência na reunião pela internet que ele, por sua livre vontade, queria realizar na quarta-feira”.

Em sua conta pessoal na internet, o vereador  publicou que “ao que eu saiba ainda vivemos num sistema democrático e de direito e, por isso, entendo que o Professor Diogo deveria ter mais respeito quanto à nossa opinião, pois também fomos eleitos pelo voto direto e de forma legítima para representar a população na Câmara, assim como ele”.

Veja o que publicou o vereador Binha sobre o assunto – Passando por cima de todos e em total desrespeito aos trâmites processuais, o Professor Diogo agendou de forma monocrática e unilateral uma reunião pela internet para votarmos alguns Projetos de Lei que estão na pauta. Lembro que desde o início da pandemia do coronavírus, no mês de março, participamos de outras reuniões presenciais no plenário da Casa sem a presença de público e sem colocar em risco a nossa saúde e a dos servidores.

Voto de Assessor – Mas, recentemente fomos surpreendidos por uma mensagem no grupo de whattsapp, criado para os vereadores, convocando uma reunião on-line para a última quarta-feira, dia 29. O mais estranho é que a mensagem informava que na impossibilidade de o vereador participar, um assessor poderia cumprir o seu papel, ou seja, votar matérias de interesse da população em seu nome.

Isso é um grande absurdo, além de inconstitucional e de afrontar os milhares de votos recebidos por todos os vereadores. Decidimos, eu e os colegas Raimundinho, Alexandre Maria e Zizinho, comparecer pessoalmente no plenário da Câmara onde abordamos o Professor Diogo para reforçar a nossa indignação e que não concordávamos com a sua decisão unilateral, pra não dizer autoritária.

Nova data – Por causa da ausência de todos os demais vereadores na tal sessão on-line, o presidente se viu obrigado a remarcar a sessão extraordinária para esta sexta-feira, dia 31, com a presença de todos os colegas no plenário da Casa. Esclareço que a transferência da reunião para sexta-feira não vai prejudicar o andamento dos projetos, inclusive o que vai beneficiar os artistas da nossa cidade com a Lei Aldir Blanc. Não podemos aceitar a imposição do que fazer e como fazer sem uma discussão democrática, pois a Câmara de Vereadores é a casa do povo.

Entenda o caso – Por falta de quorum, a reunião remota da Câmara Municipal de Timóteo prevista para ser realizada na quarta-feira (29), teve que ser remarcada para sexta-feira (31), às 14h, de forma presencial, a pedido de um grupo de vereadores que optaram por não participar remotamente.

Conforme informado pela Câmara Municipal, estiveram presentes no plenário e se recusaram a participar da reunião remota, os vereadores Fábio Campos Binha, Alexandre Maria, Raimundo Nonato e Zizinho. Justificaram ausência antecipadamente: Luís Perdigão, José Fernando e Pastora Sônia Andrade. “Os demais não acessaram o link da reunião remota no horário marcado e nem enviaram justificativa”, informou a nota da Câmara.

De acordo com Professor Diogo, a realização da reunião remota foi discutida com os demais vereadores e a decisão foi tomada visto a suspensão temporária das atividades presenciais no Legislativo de Timóteo e considerando o recebimento de uma interlocução do Executivo sobre a necessidade de aprovar na Casa um projeto de lei que viabiliza o recebimento dos recursos da Lei Federal Aldir Blanc.

“Fui surpreendido com a atitude de alguns vereadores que terminantemente se recusaram a participar da reunião remota que havia sido convocada. A aprovação do projeto que constitui o Conselho Municipal de Cultura, dentro do prazo, é essencial para garantir que os recursos venham para nossa cidade”, explicou Professor Diogo. Os vereadores Dr. José Fernando, Pastora Sônia Andrade e Luís Perdigão justificaram ausência previamente.

Estiveram presentes no plenário e se recusaram a participar da reunião remota: Binha, Alexandre Maria, Raimundo Nonato e Zizinho. Justificaram ausência antecipadamente: Luís Perdigão, José Fernando e Pastora Sônia Andrade. Os demais não acessaram o link da reunião remota no horário marcado nem enviaram justificativa.

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *