Vereadores de Fabriciano rejeitam Cidadania Honorária para a deputada Alê Silva

FABRICIANO – Depois de muita discussão vereadores de Coronel Fabriciano, reunidos em sessão Ordinária na tarde desta terça-feira (14), votaram contra o projeto de Resolução nº 1083/209, de autoria do vereador Antônio José Sargento Francisquini, que concedia o Título de cidadania honorária do município de Coronel Fabriciano à deputada Federal, Alê Silva (PSL), eleita no ano passado para o Congresso Nacional, com 48.043 votos. De igual maneira, no último mês de março, os vereadores também rejeitaram a indicação que concedia a mesma honraria ao deputado estadual Bonifácio Mourão (PSDB).

Os vereadores que se posicionaram contrários à matéria, disseram que a deputada não faz jus a honraria, já que a mesma ao se eleger, fixou gabinete na cidade de Ipatinga. O professor Edem Almeida (PT), lembrou que a deputada ainda como cidadã “desrespeitou” a Câmara de Vereadores de forma agressiva, com palavras de ordem e cartazes, dizendo que vereadores “deveriam ter salários iguais a de um professor”. Professor Edem ainda afirmou que a deputada também foi indelicada com os professores da cidade ao fazer publicações nas redes sociais.

“Eu até concordo que um salário de vereador deveria ser igual à de um professor, mas também concordo que um salário de deputado deveria ser também equivalente. Vou fazer melhor, o salário de um deputado federal poderia ser igual à de três professores. Espero que ela apresente este projeto na Câmara Federal, para que possamos dedicar o nosso apoio à matéria”, posicionou  Professor Edem, lembrando que a bancada do PT ainda aguarda as atitudes da deputada, referente à renúncia de mordomias oferecidas pelo Congresso Nacional.

Outro argumento usado para tirar a deputada debaixo do guarda-chuva dos apoiadores da matéria, foi de que a deputada de certa maneira está dentro do processo  investigatório – laranjas do PSL, que apura denúncia de recebimento  de recursos do Fundo Partidário. A maioria absoluta dos vereadores foi enfática em dizer que a Câmara de Fabriciano não reconhece a deputada como merecedora da mais alta honraria que possa ser concedida pelo parlamento Fabricianense.

Alessandra Silva Ribeiro, a Alê Silva, nasceu na cidade de Petrópolis RJ, em 4 de julho de 1974. Em 1995 se mudou para Ipatinga, onde cursou e se formou em  Direito em 2000, mudando-se no mesmo ano para a cidade de Coronel Fabriciano onde fixou residência.

Os demais projetos da pauta foram aprovados por unanimidade dos vereadores. Já os Requerimentos todos foram aprovados, incluindo as Moções de Aplausos.

Um comentário em “Vereadores de Fabriciano rejeitam Cidadania Honorária para a deputada Alê Silva

  • 15 de maio de 2019 em 08:47
    Permalink

    A maior honraria que a Deputada Alê recebeu, foram os 5.199 votos recebidos em Cel Fabriciano, sem ajuda de verba pública, vereador, político, ou conspiração, que desde o Jardim do Edém se propaga com egocentrismo e desejos obscuros.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *