Timóteo realiza pela primeira vez audiência pública para discutir pedido de reajuste de passagens

Timóteo – Após acordo mediado pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) entre a concessionária do serviço de transporte, o Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários e a Prefeitura de Timóteo, o prefeito Douglas Willkys oficializou a Câmara Municipal solicitando o cumprimento da Lei 3.653, de agosto de 2017, que torna público a realização de audiência para discutir qualquer reajuste na passagem do transporte coletivo no âmbito municipal.

Atendendo ao solicitado pelo prefeito Douglas e em cumprimento à lei municipal 3.563, a empresa concessionária do transporte coletivo-Saritur, foi convocada pela Mesa Diretora da Câmara à apresentar planilha de cálculo tarifário para justificar a solicitação de pedido de aumento da tarifa dos ônibus no município. A audiência pública foi realizada nessa terça-feira (20/08), no plenário do Legislativo.

REAJUSTE SOLICITADO PELA EMPRESA

No início deste ano a concessionária apresentou uma proposta de reajuste da passagem com as seguintes situações: 1 – pleito tarifário com cobrador em 100% da frota: reajuste 47,43% – a tarifa passaria dos atuais R$ 3,80 para R$ 5,60; 2 – com a redução de 50% dos cobradores e isenção da taxa de administração (CGO) e ISSQN: reajuste de 24,47%, a tarifa subiria para R$ 4,73; 3 – redução de 100% de cobradores e isenção de CGO e ISSQN: reajuste de 13,68% e passagem a R$ 4,32.

De acordo com representantes da empresa, o cálculo leva em conta os custos fixos e variáveis (combustível, manutenção, pneus) e o último reajuste se deu em dezembro de 2016.

O prefeito Douglas Willkys Douglas se comprometeu a não elevar a passagem de ônibus sem antes promover um estudo técnico sobre o assunto. Assim, com o objetivo de evitar uma nova greve de motoristas e trocadores da concessionária do serviço de transporte público no município, o Poder Executivo, em acordo com Ministério Público do Trabalho (MPT), suspendeu a cobrança da taxa de gerenciamento operacional (CGO) e, consequentemente, o aumento da tarifa neste ano.

FATO INÉDITO

Em toda história do município, pela primeira vez, a Comissão de Meio Ambiente, Política Urbana, Rural, Habitação, Transporte Público e Sistema Viário, da Câmara de Vereadores, fez uma audiência no Legislativo para avaliar e discutir a planilha de custos enviada pela concessionária para justificar o pedido de aumento da tarifa do transporte público.

PLANILHA

Com a apresentação da planilha pelos representantes da Saritur, o tema suscitou muita discussão. Uma das questões mais comentadas foi o sistema de integração adotado pela empresa. Uma funcionária pública que estava presente na audiência e é usuária do transporte coletivo reclamou da piora na qualidade do serviço, tendo em vista que vários horários de ônibus foram retirados após a implantação da integração. “Agora temos que ir ao centro da cidade para depois irmos para os bairros. Antes eu demorava cerca de 40 minutos para fazer o trajeto da minha casa até a prefeitura. Agora gasto quase 1h30 para percorrer os mesmos 11km”, desabafou.

INTEGRAÇÃO

Outro que criticou a integração foi o vereador Fábio Campos Binha, que preside a comissão de transporte público e sistema viário. “Muitas pessoas que antes utilizavam ônibus criaram alternativas para não usá-los mais. Acredito que um dos motivos da evasão do transporte público foi o sistema de integração, que retirou algumas linhas. É preciso que a empresa tenha mais zelo para com o usuário”, comentou.

 

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *