Reunião emergencial tenta evitar suspensão de atendimentos SUS no Vital Brazil

REDAÇÃO – Mesmo diante da escassez financeira, o Governo do Estado de Minas Gerais estudará formas de evitar a paralisação dos atendimentos pelo Sistema Único de Saúde (SUS), anunciado para a próxima segunda-feira (08), pelo Hospital e Maternidade Vital Brazil, em Timóteo. O anúncio foi feito pelo secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, em reunião de emergência com a deputada estadual Rosângela Reis, na tarde desta quinta-feira (04), na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte.

O hospital, gerido pela Fundação São Camilo, alega que a motivação para interrupção dos atendimentos é um débito no valor de R$ 2.246.373,90 entre os meses de outubro de 2018 até maio de 2018.

Diante da gravidade do cenário e o impacto na Saúde de oito municípios da região do Vale do Aço, somando mais de 300 mil pessoas, a deputada Rosângela Reis se reuniu na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte, com o secretário Carlos Eduardo Amaral, além do subsecretário de Saúde Marcílio Dias Magalhães, o superintendente da Regional de Saúde de Coronel Fabriciano, Ernany Duque Júnior, além de um corpo técnico de servidores.

Rosângela Reis afirmou que foi representando o interesse da população e buscar um diálogo entre as partes, para buscar uma solução e evitar a penalização da população com a interrupção do serviço. “Sabemos da dificuldade financeira do Estado. Por isso vim aqui pedir ao secretário que se faça um acordo e não seja interrompido o atendimento pelo SUS”, afirmou a deputada.

Regularização

Segundo o secretário Carlos Eduardo Amaral, desde maio deste ano, o Governo de Minas conseguiu regularizar os repasses devidos para todos os hospitais mineiros. Sendo que apenas os recursos vinculados ao Programa de Fortalecimento e Melhoria da Qualidade dos Hospitais do SUS/MG (Pro-Hosp) que estavam sendo feitos em 75% da totalidade. O restante dos débitos de outros programas estão sendo cumpridos.

Amaral ainda enfatizou que já repassou mais de R$ 3 milhões ao Hospital Vital Brazil neste ano e o contrato com a unidade da Fundação São Camilo vencerá nos próximos meses e será necessário firmar um novo convênio. “De fato, um hospital fechar para o SUS sempre é ruim. Ainda mais numa região que há poucos hospitais, como o Vale do Aço. Vamos analisar e estudar o que podemos fazer para evitar o fechamento”, afirmou o secretário.

Conforme os dados apresentados pela Secretaria de Estado de Saúde, a disponibilidade financeira mensal da pasta é de R$ 85 milhões, já compactuada em acordo com o Ministério Público. O montante está dividido da seguinte forma:

Programa % do valor mensal Valor mensal
Pro-Hosp Gestão Compartilhada 75% R$ 19.234.631,22
Pro-Hosp Incentivo 75% R$ 8.798.257,46
Rede Resposta 100% R$ 16.950.000,00
Pro URGE 100% R$ 637.500,00
SAMU Regional e Municipal 100% R$ 10.578.910,09
UPA 100% R$ 4.436.625,00
Rede Cegonha 100% R$ 3.327.887,50
CAGEP 100% R$ 200.000,00
CEAE/Cem 100% R$ 4.837.742,50
Contratos de fornecimentos de medicamentos Aporte financeiro R$ 15.000.000,00
Atenção Primária Aporte financeiro R$ 998.446,23
Total R$ 85.000.000,00

Fonte: Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG)

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *