Prefeitura apura desabamento de muro na Rua Mesquita, no Bela Vista

TIMÓTEO – A Rua Mesquita, no Bairro Bela Vista, Centro Sul da cidade de Timóteo, considerada uma base de apoio para o bairro, onde a prefeitura construiu mais de 300 metros de muro para contenção da via, através do Programa Habitar Brasil, na última semana, parte do muro desabou. Existem denúncias dos próprios moradores, que estão sendo apuradas, de que um morador retirou a sustentação do muro para erguer uma construção. Com o acidente, inúmeras famílias para sair com o carro da garagem, estão sendo forçadas a dar uma volta de 12 km para chegar ao centro da cidade.

DEFESA CIVIL

A Coordenação Municipal de Defesa Civil (Codec) de Timóteo interditou o trânsito de veículos na Rua Mesquita na manhã desta quarta-feira (02). Sem ainda entender a causa do desabamento, a Defesa Civil atribui o ocorrido às chuvas nos últimos dias. O Codec registrou a ocorrência no feriado de 1º de Janeiro.

De acordo com o arquiteto urbanista, Arístenes Giovanni, gerente de Habitação e Defesa Civil da Prefeitura, foram passadas orientações aos moradores. “Foi necessária à interdição da rua para maior segurança das casas próximas e evitar mais deslize de terra”, explicou. O acesso dos moradores à localidade deverá ser feito via Recanto das Palmeiras.

A Prefeitura solicitou projeto de recuperação da Rua Mesquita e a contratação de empresa via licitação pública para realização da obra. Ainda não há previsão para o início das obras.

OPINIÃO

A falta de fiscalização e vista grossa das administrações anteriores com as construções irregulares e outras ações sem licenciamento, causam prejuízos aos cofres públicos, colocam em risco a vida de inúmeras famílias e contribuem para o assoreamento de córregos. Os mesmos moradores que causam a situação, são os  mesmos que reclamam da falta de fiscalização por parte do poder público.

Do Bairro Alegre, regional Leste da cidade, vem o segundo exemplo da falta de fiscalização por parte das administrações anteriores. Uma construção foi erguida às margens de um córrego na Avenida Alexandre Torquetti, causando o afundamento da via, rompimento da adutora da Copasa, uma tremenda dor de cabeça para os moradores e para o prefeito da cidade.

Mesmo sem poder gastar, a prefeitura está executando a obra de maneira emergencial, ao custo de quase meio milhão de reais, porque o incidente colocava em risco a vida de inúmeras famílias. Ou seja, a irresponsabilidade de um cidadão e a falta de fiscalização da prefeitura causaram estes transtornos.

Eu espero que o prefeito Douglas Willkys não dê mole a este tipo de situação. Se o morador não tem consciência e amor à própria família, que a prefeitura cuide para que estes irresponsáveis não coloquem também a vida do seu vizinho em risco.

Que o prefeito Douglas Willkys alavanque juntamente com os quinze vereadores da cidade, programas habitacionais com capacidade de abrigar a população sem teto. Fabriciano e Ipatinga estão construindo moradias populares. O ex-prefeito Keisson Drumond anunciou a construção de mais 600 unidades habitacionais, dentro do programa “Minha Casa Minha Vida”, no Córrego Caçador, e outras dezenas no bairro Macuco e no distrito de Cachoeira do Vale. Ficou só no anúncio e no enganei o “bobo na casca do ovo”. Pronto, Falei!

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *