Prefeito de Bom Jesus do Galho esclarece denuncias de desvio de verbas

Willian Calais é prefeito de Bom Jesus do Galho

Bom Jesus do Galho – O  prefeito de Bom Jesus do Galho (MG), Willian Batista de Calais (PP), foi denunciado pelo Ministério Público por desvio de recursos públicos. Segundo as investigações do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), a Prefeitura emitiu cheques destinados ao próprio município e que eram sacados por pessoas próximas ao chefe do Executivo. Familiares dele e uma servidora também foram denunciados.

Em nota, o prefeito William Batista de Calais informou que não tem poupado esforços para colaborar com todas as investigações, fornecendo a todo tempo e modo os documentos requisitados pelo Ministério Público.

“Ocorre, todavia, que os órgãos de acusação infelizmente preferiram levar as conclusões de suas investigações primeiramente à imprensa, antes mesmo de dar conhecimento delas à Justiça e a mim, o que impede uma manifestação sobre os fatos e notícias, que não são de meu integral conhecimento”, disse.

Segue a nota com pontuais esclarecimentos:

1- No tocante aos valores recebidos da locação dos espaços públicos durante a Festa do Jubileu do ano de 2017, foram todos depositados na conta do Município, conforme comprovantes bancários entregues ao Ministério Público.

A partir do ano de 2018, os valores foram depositados devidamente na conta da prefeitura.

2- Quanto aos cheques apontados na matéria, em investigação no âmbito municipal, apurou-se quais servidores eram responsáveis, e houve a devida devolução dos valores aos cofres públicos, portanto sem prejuízo ao patrimônio público.

Assim continuamos firmes na administração municipal, sempre pautando pela austeridade e no escorreito cumprimento da lei.

Entenda o caso

O prefeito de Bom Jesus do Galho (MG), Willian Batista de Calais (PP), foi denunciado pelo Ministério Público por desvio de recursos públicos. Segundo as investigações do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), a Prefeitura emitiu cheques destinados ao próprio município e que eram sacados por pessoas próximas ao chefe do Executivo. Familiares dele e uma servidora também foram denunciados.

Segundo o Gaeco, ao saber que estava sendo investigado, o prefeito chegou a devolver os R$ 12 mil referentes aos cheques. “Entendemos que ficou bem demonstrado o dolo das pessoas, inclusive do agente público. Eles tinham vontade e consciência da subtração dos valores. Os títulos são de 2017 e os pagamentos ocorreram somente agora, em 2019, após o início e no termo das investigações. Deixando bem claro que se não houvesse denúncia e investigação, certamente, esses valores não retornariam aos cofres públicos”, explica o delegado Gilmaro Alves.

Festa do Jubileu

O prefeito ainda é investigado por fraude financeira durante a Festa do Jubileu, realizada anualmente na cidade. O promotor Rafael Moreno explica que, durante o evento, são alugados espaços que podem ser usados para o comércio de produtos, o recurso arrecadado deveria ser revertido aos cofres públicos, mas testemunhas apontaram que a quantia foi destinada para pessoas envolvidas no suposto esquema, entre elas, o prefeito.“Esse valor é destinado aos cofres públicos, no entanto, apurou-se que esse valor não foi destinado, não houve controle. O município tentou dar várias explicações, dizendo que era de R$ 40 mil, de R$ 30 mil, depois de R$ 45 mil, sem conseguir explicar para onde foi esse dinheiro”, fala o promotor.

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *