Obras da MG-760: Empresa Tamasa desmonta o seu último equipamento, ‘a usina de asfalto’

MARLIÉRIA (Foto PCReis) – O canteiro de obras da empresa Tamasa ganhadora da licitação das obras de pavimentação da MG-760, ligação do Vale do Aço à Zona da Mata está sendo desativado no município de Marliéria.

Nesta terça-feira (26), a coordenação do ‘Movimento MG-760 asfalta Já’ foi conferir de perto a situação. O desmonte da usina de asfalto é uma realidade. Os coordenadores do Movimento MG-760 foram informados de que a Tamasa está desmontando a usina de asfalto para preservá-la, visto que o retorno da obra não tem data prevista devido a dificuldade financeira anunciada pelo governador do Estado.

Ao longo do dia, preocupados, os coordenadores do Movimento conseguiram contato com os gabinetes dos deputados Celinho do Sinttrocel e Rosângela Reis. Os deputados enviaram posicionamentos a respeito do assunto. Celinho repercutiu o assunto em reunião na Comissão de Obras da ALMG.  Na oportunidade, o deputado cobrou o retorno da obra, falou da informação do Movimento quanto ao desmonte do canteiro de obras e, ainda propôs uma audiência pública para discutir o assunto.

A deputada estadual Rosângela Reis lamentou o desmonte da Usina da asfalto e a paralisação da pavimentação da LMG-760. A deputada ressalta que esteve, em diversas oportunidades com o governador Romeu Zema, o vice Paulo Brant e o secretário de Estado de Transporte e Obras Públicas (Setop), Marco Aurélio Barcelos, cobrando a retomada das obras. No entanto, devido a situação de dificuldade financeira vivenciada em Minas Gerais, o Governo do Estado não informou prazos para a volta das intervenções. 
Segundo Rosângela Reis, é “preciso agora mobilizar a população para fazermos força política para pressionar o governo a priorizar a obra”. Ela informou também que irá realizar uma audiência pública na Comissão de Assuntos Municipais e Regionalização da ALMG, para discutir o assunto e mostrar a importância desta obra para o Vale do Aço.

O prefeito de Timóteo, Douglas Willkys (PSB) se mostrou preocupado com a situação. Por solicitação do Movimento MG-760 e diante da real situação de paralisação das obras de pavimentação, disse que nos próximos dias irá propor um encontro de trabalho diretamente com o governador Romeu Zema, para travar uma discussão sobre o retorno destas obras. É intenção do prefeito de Timóteo convidar para este encontro outras lideranças políticas da região.

Também estão engajados neste propósito os presidentes de Câmaras Municipais do Vale do Aço. Em um encontro realizado em Timóteo no ultimo dia 19, colocaram na pauta de um provável encontro com o governador, o retorno imediato das obras da MG-760.

O DEER informou que todas as obras que estavam em andamento no ano de 2018, como é o caso da MG-760, estão paralisadas. “Tendo em vista a atual situação financeira do Estado, ainda não há previsão para reinício dos trabalhos”, destaca. Conforme o governo, no momento o DEER/MG analisa a situação de todas as obras sob a sua responsabilidade, que não foram concluídas.

ENTENDA O CASO

As obras de pavimentação da estrada MG-760 estão paralisadas desde outubro do ano passado, após as eleições. Nesse período as máquinas pararam sem a previsão de retomada do serviço. Na época, o Departamento de Edificações e Estradas de Rodagens (DEER) alegou que a suspensão seria em detrimento ao período chuvoso. Contudo, até o momento, o novo Governo de Minas Gerais não manifestou quando serão reiniciadas as atividades.

A estrada, que liga os municípios de Marliéria e São José do Goiabal, possui 57 quilômetros de extensão. Desde a assinatura da ordem de serviço, em julho de 2017, até o momento, apenas sete quilômetros foram asfaltados. O trecho asfaltado abrange de Cava Grande a Santo Antônio da Mata. A terraplanagem foi feita até o trevo da comunidade rural do Córrego dos Antunes.

De acordo com a licitação, vencida pela Tamasa Engenharia Ltda., o prazo de execução da obra era de 784 dias, ou seja, o término da pavimentação deveria ser até o dia 18 de setembro. As obras de pavimentação da MG-760 tem orçamento de R$ 110.930.599,83, custeado com recursos estaduais.

Comissão de Transportes

Na reunião da Comissão de Transportes, Comunicação e Obras Públicas da ALMG nesta terça feira (26/03), o deputado Celinho aprovou requerimentos para a realização de audiências públicas para debater sobre a paralisação das obras da MG 760 e da Estrada Parque Bispo Dom Helvécio (MG 320), em Marliéria. O deputado fez críticas e solicitou um posicionamento do Governo sobre as obras paralisadas no Estado.

Compartilhe em suas redes sociais

One thought on “Obras da MG-760: Empresa Tamasa desmonta o seu último equipamento, ‘a usina de asfalto’

  • 27 de março de 2019 em 09:47
    Permalink

    Acabou. Já era. Deputado fez campanha sobre a MG. Daqui a 4 anos o discurso é o mesmo. Otário quem votou!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *