Cidade de Bom Jesus do Galho se une para ajudar criança que precisa de cirurgia de olhos

Depósitos para custeio da cirurgia podem ser feitos nas contas poupança da mãe de Arthur, Adriana Cristina Rezende Paula, nº 19065-2/500 – agência 5132 – banco Itaú, ou na Caixa Econômica Federal – conta nº 00167017-2 – tipo de conta 013 – agência 0106. Telefone para contato (33) 9 9933.8769.

Bom Jesus do Galho (Foto divulgação/autorizada) – Comerciantes de Bom Jesus estão em campanha arrecadando recursos para custear uma cirurgia que pode levar Arthur Gabriel Mota Rezende, de um ano e dez meses, a enxergar.

Segundo o oftalmologista e cirurgião, Lucas Nicácio, responsável pelo tratamento, Arthur Gabriel está cego devido à catarata que cobre seus olhos e que dificulta a visualização de toda a estrutura ocular. Uma doença na retina também foi identificada, segundo o médico. “Há indicação para cirurgia, porque há esperança de ele vir a enxergar. O ultrassom mostrou isso, ele não tem descolamento de retina e a pressão ocular é normal. Mas, como disse, a catarata impossibilita de sabermos as condições do fundo do olho do Arthur”, observa Lucas Nicácio. Ele comenta que não pode garantir que Arthur venha a ter uma visão normal, “mas é possível que ele consiga enxergar.  Vale a pena investir na cirurgia, tentar o recurso.”

Lucas explica que, inicialmente, Arthur deverá ser submetido a uma operação no olho esquerdo e, caso seja bem-sucedido, o procedimento poderá ser feito também no olho direito que, conforme o médico,  apresenta menor possibilidade de ser recuperado.  “Se a visão que apresenta menos complicações não for reestabelecida por meio da cirurgia, não teremos motivos para tentar o procedimento no outro olho. Isso apenas produziria mais sofrimento no menino Arthur”, explica Lucas. Importante referência em oftalmologia no Brasil, o médico explica que Arthur passará por uma cirurgia combinada. “Eu irei operar a catarata e, meu colega, Gabriel Zatti Ramos, a retina. Não adianta solucionar apenas o problema da catarata”, afirma Lucas.

A primeira cirurgia está orçada em R$19.500, um valor que pode variar em função da conduta médica e período de permanência no hospital, que fica em Sorocaba.

“Meu marido e eu somos de origem humilde. Trabalhamos e lutamos com dificuldade para pagar aluguel, as contas de água, luz, as despesas com alimentação. O valor das cirurgias é muito alto para nós que somos assalariados. É por isso que estamos contando com a boa vontade das pessoas, para tornar o meu sonho mais importante sendo realizado, ver o Arthur recuperar a visão, afinal ele tem muita vida pela frente”, enfatiza a mãe de Arthur, Adriana Rezende.

Para angariar recursos, além dos comerciantes, um grupo de amigos da família está vendendo rifas e mantém duas contas para depósitos em favor de Arthur, para pagamento das despesas das cirurgias.

COLABORAÇÃO

Gustavo Mota, pai de Arthur, conta que a criança nasceu aos sete meses de gestação e precisou ficar 30 dias internado antes de ir para a casa. Logo que Arthur saiu da maternidade, foi levado ao pediatra. O médico constatou que o bebê não enxergava. “Aí, veio o desespero. Fomos a Belo Horizonte em busca de tratamento, mas o médico que atendeu nosso filho não nos deu esperança. Então, minha esposa passou a buscar informações sobre onde levar o Arthur para conseguir a recuperação de sua visão. Assim chegamos ao Lucas, que nos pediu uma série de exames, pagos com a ajuda de amigos”, recorda Gustavo, acrescentando que “novamente voltou a necessitar da colaboração das pessoas para conseguir a primeira cirurgia que precisa ser realizada o mais rápido possível. Apesar da complexidade do caso, conseguimos ver uma luz no fim do túnel. Esse procedimento é a esperança que temos de Arthur voltar a enxergar”, otimiza Gustavo.

Ele comenta que é muito triste ver a falta de motivação de Arthur para brincar, já que ele não conta com o estímulo visual.  “Tudo que nosso filho faz ao longo do dia é ouvir os programas infantis, quase sempre assentado. A recuperação da visão vai trazer a infância que sonhamos para o Arthur”, finaliza Gustavo.

SERVIÇO

Depósitos para custeio da cirurgia podem ser feitos nas contas poupança da mãe de Arthur, Adriana Cristina Rezende Paula, nº 19065-2/500 – agência 5132 – banco Itaú, ou na Caixa Econômica Federal – conta nº 00167017-2 – tipo de conta 013 – agência 0106. Telefone para contato (33) 9 9933.8769.

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *