Secretário de Saúde de Fabriciano detalha as ações contra doenças transmitidas pelo Aedes aegypti

FABRICIANO – A Prefeitura de Coronel Fabriciano, por meio da Secretaria de Governança da Saúde, mantém um plano permanente de combate às arboviroses no município, que são as doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, como dengue, Zika, chikungunya, e febre amarela. Durante coletiva de imprensa realizada nessa quinta-feira, 19, o Secretário de Governança de Saúde, Ricardo Cacau, detalhou as ações que iniciaram em 2017.

Ricardo Cacau, Secretário Municipal de Saúde.

Dentro do plano de gestão o município realizou a contratação de mais 16 agentes de endemias totalizando mais de 80 profissionais que realizam visitas domiciliares permanentes e aplicação do UBV costal. O trabalho que vem sendo desenvolvido também consiste na realização de mutirões de limpeza nos bairros que apresentam maiores índices de infestação do Aedes aegypti, uso do fumacê que é fornecido pela Superintendência Regional de Saúde (SRS) e campanha de conscientização em escolas e em pontos estratégicos da cidade. “Desde quando assumimos a gestão nós estamos vigilantes de como lidar com as arbovirores. O Vale do aço é região endêmica, o que possibilita que qualquer alteração nos municípios vizinhos provoque mudanças no quadro de infestação”, explicou.

Além das ações, Ricardo Cacau, ressaltou a criação do Comitê Intersetorial de Combate as Arboviroses – CICA, que é um grupo formado por servidores dos diversos setores da prefeitura e entidades do município que tem como objetivo nortear os trabalhos de combate às doenças transmitidas pelo Aedes aegypti.

Capacitação

Conforme o secretário, além da prevenção e combate às arboviroses o município investiu na capacitação da atenção básica treinando enfermeiros e médicos para notificarem e detectarem as doenças. “Atualmente no estado são mais de 15 municípios que estão omissos na divulgação do número de notificações. Em nossa cidade nós divulgamos os dados porque através destas informações termos um direcionamento de onde nós vamos programar as ações”, disse. O trabalho de vigilância realizado em Fabriciano consiste no acompanhamento das notificações, e uma planilha que aponta os bairros que estão epidêmicos, além das Unidades Básicas de Saúde que atualizam diariamente informações sobre os pacientes.

LIRAa

Essa semana, a Secretaria de Governança da Saúde, divulgou dados do Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa), realizado entre os dias 09 e 12 de abril. O resultado mostrou um índice de infestação de 4,1%, número considerado de médio risco de acordo com o Ministério da Saúde. O setor de zoonoses atribuiu o aumento do resultado ao período chuvoso e que o maior número de focos do Aedes aegypti encontra-se nas residências.

Chikungunya

Atualmente Coronel Fabriciano registra uma média de 1500 casos de chikungunya notificados contra 900 casos de dengue.  De acordo com a Gerente de Vigilância em Saúde, Vania Tavares a doença é um vírus novo e que apareceu na região no final de 2017, o que contribuiu para que o número de casos aumentasse em 2018. “A população nunca foi acometida pelo vírus o que acabou contribuindo para que a população ficasse susceptível à doença. Ano passado a doença estava concentrada no leste de minas e neste ano, nossa região infelizmente acabou sendo acometida. O que nos deixa mais tranquilizados é que nenhum paciente está internado devido o estado crônico da doença, a notificação dos pacientes tem sido feita nas UBS’S”, finalizou.

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *