Reportagem do JBN sobre medicamentos, vira CPI na Câmara de Timóteo

TIMÓTEO – Depois de noticiado com exclusividade pelo JBN em matéria publicada neste domingo (8), que denúncias envolvendo medicamentos em Timóteo, podem virar caso de Polícia, a repercussão veio nesta segunda-feira (9), com a apresentação de um requerimento solicitando a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito – CPI, de autoria do vereador suplente, Kiko Silveira.

Caixas lacradas de remédios serão queimadas.

A reportagem levada ao ar neste domingo está embasada no número de medicamentos que estão sendo adquiridos, e que também estão sendo descartados nos últimos tempos no município de Timóteo.

O alerta neste sentido foi dado na última sexta-feira (6), depois que o vereador Geraldo Gualberto (PSDB) flagrou no almoxarifado da Prefeitura, no Bairro Primavera, centenas de medicamentos já preparados para o processo de incineração. O vereador observou na ocasião, que entre os medicamentos descartados encontravam-se remédios para hipertensão, colesterol, polivitamínicos, entre outros. Entre os lotes de remédios que serão levados para o incinerador, estão caixas lacradas, o que deixou Geraldo Gualberto assustado e preocupado com o desperdício do dinheiro público.

“Desvio de R$ 900 mil”, é o que revelou o prefeito Adriano Alvarenga ao vereador Geraldo Gualberto.

Também na mesma oportunidade, o prefeito interino Adriano Alvarenga (PMB), além de revelar a existência de um “desvio da ordem de R$ 900 mil” com a compra de medicamentos, constatado em uma sindicância ao assumir a prefeitura, o prefeito agendou uma entrevista exclusiva com o JBN, nesta segunda-feira (9), com a promessa de apresentar o relatório da mencionada sindicância.

Infelizmente, a entrevista não aconteceu, visto que segundo justificativa apresentada ao jornal, o relatório da sindicância estava em poder do Procurador Jurídico, Eduardo Carvalho, este em viagem a Belo Horizonte.

CPI

O vereador Kiko Silveira é o autor do requerimento que propõe a CPI.

Na tarde desta segunda-feira, por volta das 15h40, o JBN recebeu comunicado do vereador suplente, Kiko Silveira (PPS), anunciando a apresentação de um requerimento propondo uma Comissão Parlamentar de Inquérito – CPI, com o objetivo de “investigar supostas fraudes fiscais na prefeitura envolvendo a compra de medicamentos na gestão do ex-prefeito Geraldo Hilário”. O requerimento do vereador do PPS foi assinado por mais cinco vereadores: Alexandre Maria (PSDB), Leanir José de Souza, o Zizinho (PPS), Wladimir Careca (PRB), Adriano Tibata Benjamim (PT) e Fábio Campos (PSB). Os três primeiros vereadores estiveram na base de sustentação do ex-prefeito Geraldo Hilário.

INSTALAÇÃO DA CPI

A instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito estará a cargo do presidente interino da Câmara, vereador Luiz Perdigão (PP), que estará na presidência do Legislativo até a próxima sexta-feira (13). Perdigão deixará o cargo para  Adriano Alvarenga, que retorna da interinidade na prefeitura. O prefeito eleito nas eleições extemporâneas do último dia 24, Douglas Willkys (PSB), assume o comando do Poder Executivo até dezembro de 2020.

Com o retorno de Adriano Alvarenga à Câmara Municipal, o vereador Kiko Silveira, na qualidade de suplente, autor da CPI, deixará a cadeira no Legislativo. Assim, a CPI segue o seu tramite normal, sob a presidência do vereador mais velho, isso se Kiko Silveira estiver presidente da mesma.

“Estou convicto de que a Câmara deve investigar estes supostos desvios de dinheiro dos cofres públicos, verba que deveria ser usada para amenizar sofrimentos e salvar vidas”, pontuou Kiko Silveira.

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *