Recuperação de nascentes em Ipatinga atinge 150 propriedades

IPATINGA – Em parceria com o Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Piracicaba (CBH-Piracicaba), a Prefeitura de Ipatinga vem desenvolvendo no município o Programa ‘Rio Vivo’, parte de um amplo leque de ações voltadas para a recuperação ambiental que contempla várias regiões do município.

rio vivo

A ÚLTIMA reunião do Programa aconteceu na Escola Municipal João Reis, no bairro Limoeiro

Os recursos para viabilização das ações são assegurados na cobrança pelo uso da água. A iniciativa conta com o apoio técnico do IBIO, agência do Comitê da bacia Hidrográfica do Rio Doce que trabalha para promover a gestão sustentável dos recursos hídricos.

Por meio da iniciativa, deverão ser contempladas 150 propriedades rurais do município com a implantação de tecnologias de infiltração e armazenamento de água – as chamadas barraginhas, que também servem para o controle de atividades geradoras de sedimentos e instalação de caixas secas; expansão do sistema de saneamento, com tratamento de esgoto e água, além de projetos de recuperação de nascentes, monitoramento e recuperação de Áreas de Preservação Permanente (APP).

O objetivo final do Programa é revitalizar os corpos d’água das localidades contempladas, aumentando a quantidade e qualidade dos recursos hídricos, promovendo o aumento da infiltração e armazenamento das águas de chuva no solo e, ainda, controle do carreamento de sedimentos para corpos d’água.

Prioritariamente, o Programa ‘Rio Vivo’ contempla os imóveis rurais pertencentes às comunidades de Pedra Branca, Ipaneminha e Tribuna, onde existam nascentes ou próximos aos cursos d’água.

A apresentação do Programa tem acontecido em visitas realizadas nas propriedades e reuniões com as comunidades. Nestes encontros é que são realizados os diagnósticos de cada situação. A implementação das ações é definida para os imóveis cujos proprietários façam adesão.

A reunião mais recente aconteceu na última quarta-feira (10), na Escola Municipal João Reis, no bairro Limoeiro, onde os proprietários rurais das localidades priorizadas tiveram a oportunidade de esclarecer dúvidas.

Importante instrumento de apoio

Maria da Penha Nogueira, proprietária de um imóvel que fica na divisa das comunidades rurais de Pedra Branca e Tribuna, era uma das participantes. No local já foi diagnosticada a existência de cinco nascentes. Tão logo ela conheceu a proposta, realizou a adesão.

“Estou muito animada com o Programa. Temos que ter consciência e fazer tudo que pudermos para recuperar a natureza, que vem sendo destruída pelos seres humanos. Devemos evitar também que o gado pisoteie os nossos cursos d’água, pois isso é uma das causas destruição das nascentes. O Programa mostra que podemos aproveitar a água que escorre dos morros, por meio das barraginhas. Ela infiltra na terra e volta a abastecer o curso d’água, evitando ainda o carreamento de terra que provoca assoreamento dos ribeirões provenientes das zonas rurais de Ipatinga”, comenta a moradora.

 

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *