Por falta de leitos, UPA tem dificuldade para transferir pacientes para hospitais

Vereadores da Comissão de Saúde Pública e Secretaria Municipal de Saúde se reúnem para discutir situação da unidade de pronto-atendimento

IPATINGA – A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Ipatinga, situada no bairro Canaã, foi inaugurada em 2015 com condições de atender a uma demanda estimada de 300 mil habitantes. Hoje a demanda regional, que abrange 13 municípios, faz com que a unidade seja referência para uma população de 800 mil.

Além desse aumento de demanda na UPA, há uma sobrecarga dos hospitais da região, como o Marcio Cunha (HMC) e o Hospital Municipal Eliane Martins. Por falta de leitos no HMC, o Eliane Martins não consegue a transferência de pacientes que necessitam de intervenções cirúrgicas. Devido a essa situação, por sua vez, o hospital municipal não abre vagas para transferências da UPA.

Em função desse cenário de superlotação, os vereadores Wanderson Gandra (PSC), Ademir Cláudio (Pros) e Márcia Perozini (MDB), juntamente com a secretária de Saúde, Érica Dias, a secretaria-adjunta Danyevens Ribeiro, o diretor Técnico da UPA Samuel Torres, e o diretor de Urgência e Emergência, Diego Reis, se reuniram no final da tarde de quarta-feira (17) para discutir encaminhamentos visando melhorar o fluxo de atendimentos.

O presidente da Comissão de Saúde Pública, Wanderson Gandra, explicou que tem recebido reclamações de pacientes que vão até a UPA em busca de atendimento e acabam tendo de esperar muito tempo. “A situação dos trabalhadores também me preocupa, pois houve um acidente em que uma técnica de enfermagem se machucou durante seu plantão”, disse o vereador.

Érica Dias ressaltou que além dos atendimentos na UPA estarem acima da capacidade, há o agravante de que 60% dos pacientes que buscam a unidade poderiam ser atendidos nas Unidades de Saúde dos bairros.

O vereador Ademir Cláudio lembrou que os repasses atrasados do Governo de Minas têm prejudicado a manutenção dos serviços na área da saúde em Ipatinga. Já a pastora Márcia Perozini, solicitou informações sobre a construção do Bloco Cirúrgico, no Hospital Municipal Eliane Martins, que necessita ser feito para que os pacientes consigam ser operados na unidade hospitalar municipal.

Ao final da reunião, os vereadores decidiram que vão chamar uma audiência pública para esclarecer a população sobre os atendimentos na UPA e como funciona o fluxo de atendimentos no sistema de saúde de Ipatinga. Também foi solicitado que os vereadores ajudem a Prefeitura a cobrar do Governo de Minas os repasses atrasados de verbas na área da saúde, que ultrapassam R$ 72 milhões.

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *