Representantes do Movimento MG-760 vão ao DEER/MG pedir celeridade nas obras da rodovia

TIMÓTEO – Nesta segunda-feira (2), o superintendente regional do DEER/MG, Nívio Pinto de Lima, recebeu em Coronel Fabriciano, integrantes do Movimento MG-760 Asfalta Já, para questionamentos a respeito do andamento das obras de asfaltamento da rodovia. A MG-760 liga o Vale do Aço à Zona da Mata. O Movimento foi representado na oportunidade por Paulo César Reis, Luciano Elias, Vera Lobato, Ernani Bittencourt e Geiman Guimarães.

Durante o encontro considerado proveitoso pelo grupo de voluntários da estrada, vários questionamentos pautados pela liderança e participantes do Movimento MG-760 foram respondidos com muita transparência pelo superintendente do DEER/MG, que chegou até a apresentar  documentos para comprovar o andamento da obra.

Conforme explicou o engenheiro Nívio Pinto de Lima, não existe nenhum entrave para a retomada e aceleração das obras. Segundo ele, os pagamentos das medições até então estão correndo dentro da perfeita normalidade. A lentidão das obras nos últimos meses está atribuída às condições do tempo, que não ofereceu oportunidade para  executar os serviços com segurança e eficiência. “O terreno na região permaneceu saturado e impossibilitava todo e qualquer movimento de terra, considerado o grosso do serviço. A chuva foi 50% além do previsto para todo estado e naquela região, foi acima do normal.”, disse o superintendente.

Os representantes do Movimento MG-760 informaram que deixaram a reunião com o superintendente do DEER com a garantia de que agora com a estiagem e tempo mais seco, será possível retomar as obras com a mesma velocidade do cronograma estabelecido no principio do empreendimento. Neste mesmo embalo de retomada  das obras, virão as contratações da mão de obra descartada no final de 2017.

Recursos

Um dos itens que tem preocupado os interessados nas obras da MG-760 é a existência ou não dos recursos orçamentários. O superintendente do DEER/MG, Nívio Pinto, tranquilizou os representantes do Movimento MG-760, informando que existe sim no orçamento uma  reserva prevista de R$ 50 milhões para ser gasto na estrada este ano. Segundo ele, este recurso não é específico, está junto com todos os recursos destinados a obras no estado. O empreendimento que for mais eficiente e mais exequível terá o seu valor garantido.

POSTES  

Segundo o DEER a burocracia da retirada de vários postes de eletrificação no entorno da obra, vem sendo discutido há pelo menos seis meses. Segundo Nívio Pinto, todos os tramites legais foram seguidos e agora só depende da Cemig, que prometeu a execução dos serviços para o início deste mês de abril. Nas mesmas condições estão as poucas indenizações na região do Distrito de Santo Antônio da Mata, no município de Marliéria. As negociações já estão prontas, mas o DEER está discutindo o assentamento dos moradores.

AÇÕES DO MOVIMENTO MG-760

A coordenação do Movimento MG-760, garantiu para a reportagem do JBN que ainda nesta primeira quinzena do mês de abril, o grupo de voluntários da estrada estará desenvolvendo  algumas ações para acompanhar de fato o andamento das obras, bem como demonstrações mais rotineiras do interesse social e da importância do empreendimento para a sociedade e para os políticos.

De acordo com os coordenadores, a falta de interesse das autoridades constituídas para essa obra acarreta preocupação. “Vamos movimentar, porque não queremos mais uma vez que o orçamento da MG-760 seja desviado para outras regiões do estado”, pontuaram os coordenadores do Movimento MG-760.

 

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *