Modernização do Faixa Azul de Timóteo entra em vigor no mês de janeiro

Novo gerenciamento permitirá mais transparência e acesso às informações pela população. 50% do lucro líquido será revertido para a Prefeitura de Timóteo

TIMÓTEO – A partir de janeiro o sistema de estacionamento rotativo em Timóteo passará a funcionar em um novo sistema. A iniciativa faz parte do programa de modernização e reorganização do centro comercial do município desenvolvido pela Prefeitura o que possibilitará a democratização da utilização do espaço público e, consequentemente, o reordenamento do trânsito.

A gestão do estacionamento rotativo é do Instituto Maçônico de Projetos Sociais (IMAG) de Timóteo que detêm a concessão para a exploração do Faixa Azul. A partir de um pedido do prefeito de Timóteo, Douglas Willkys de que o sistema fosse modernizado, o IMAG contratou a empresa Faixa Azul Minas que desenvolveu a gestão para o gerenciamento de estacionamento rotativo público. Timóteo é a oitava cidade brasileira a contar com essa ferramenta tecnológica da empresa Faixa Azul Minas.

Ao todo, o Município destinou 600 vagas para estacionamento rotativo, dos quais 5% serão asseguradas para idosos e 2% para deficientes. Ao mesmo tempo, haverá “zonas de escape” para quem preferir estacionar sem pagar pela vaga. Outra inovação é a cobrança fracionada, ou seja, o motorista pagará somente pelo tempo em que a vaga foi utilizada.

Transparência

Ao estacionar na vaga numerada, o consumidor terá a placa do seu veículo lançada no sistema por um monitor por meio de aplicativo. A partir de dez minutos após o lançamento da placa no sistema operacional, começa a contabilizar o período de utilização, que estará limitado em duas horas para aquela vaga. Dentro desse período, o motorista poderá usar outras vagas sem ter que pagar a mais por isso.

Para ter acesso à vaga de estacionamento, o consumidor pode comprar com os monitores, em postos de venda credenciados, pelo site faixaazulminas.com.br, ou por meio do aplicativo.

Outra inovação é que a prefeitura terá acesso ao sistema de gestão e aos recursos gerados, informações que serão disponibilizadas para toda a população. Segundo o controlador interno da prefeitura, Thiago Andrade Castro, essa modernização do sistema vai garantir uma maior  eficiência e transparência dos recursos recebidos, sendo que 50% do lucro líquido será revertido para a Prefeitura de Timóteo. “A prestação de contas será divulgada no Portal da Transparência do Município”, informou Thiago Castro.

ENTENDA O CASO

O Município de Timóteo notificou o Instituto Maçônico de Gestão de Projetos Sociais (IMAG), entidade responsável pelo funcionamento do estacionamento rotativo de longa duração – Faixa Azul, exigindo que o mesmo promova a modernização da cobrança pelo estacionamento.

Após a notificação, o prefeito Douglas Willkys recebeu no seu gabinete a diretoria do IMAG para discutir alguns pontos que o chefe do Executivo entende como fundamentais para melhorar a prestação de serviço. Um dos pontos que originou a notificação foi a marcação de novas vagas sem a comunicação prévia à Administração municipal. O instituto foi advertido a não promover mais qualquer intervenção de sinalização sem a autorização da Prefeitura. Até então o IMAG

Foto: Divulgação
O prefeito Douglas Willkys, em um dos seus primeiros atos, notificou o IMAG propondo uma modernização e transparência na cobrança pelo estacionamento em Timóteo

Outro ponto abordado foi a renovação antecipada do convênio entre a PMT e o IMAG, na gestão interina de Adriano Alvarenga. O convênio com o IMAG venceria no dia 3 de agosto de 2018, mas foi prorrogado até o fim de 2020.

Na ocasião, o prefeito Douglas Willkys pontuou ainda algumas questões que precisam ser revistas pelo IMAG por meio da alteração do plano de trabalho da entidade; a modernização do atendimento com o investimento pela entidade nos equipamentos e sistema de informática; alteração do modelo de fiscalização, com a liberação de 10 minutos sem a necessidade de aquisição do talão. A implantação da modalidade de fracionamento do pagamento por horário também foi indicada para a entidade.

Outro assunto abordado é que seja investido um percentual da arrecadação em ações voltadas para o trânsito, bem como a destinação do saldo financeiro. Douglas também exigiu que a prestação de contas referente à arrecadação com o Faixa azul seja pública e nos mesmos moldes das demais entidades que possuem vínculo com o poder público municipal.

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *