Corrida pela casa própria: PMI já inscreve famílias para o programa de moradias populares

IPATINGA – “Já perdi as contas de quantas casas eu morei em toda minha vida. Quero ter a minha e sair do aluguel”. Este é o relato de Marluce Gomes Teixeira, 46 anos, moradora do bairro Tiradentes. Ela paga R$ 450 de aluguel e recebe apenas um salário mínimo por mês. Na manhã desta quarta-feira (19), Marluce foi ao galpão central do Parque Ipanema para registrar sua inscrição e concorrer aos 240 apartamentos populares que estão sendo construídos no bairro Nova Esperança, com entrega prevista para o primeiro semestre de 2019.

Em parceria com o Ministério das Cidades, o novo governo de Ipatinga projeta a edificação de quase 1.400 unidades habitacionais no município, ainda dentro do atual mandato, em benefício de famílias com renda mensal de até R$ 1.800. O cadastramento dos primeiros interessados será realizado até 19 de outubro no local, de segunda a sexta-feira, de 8h às 17h, e pode ser feito ainda em link na página de abertura do site da prefeitura http://minhacasaminhavida.ipatinga.mg.gov.br). No primeiro dia de inscrição, 820 famílias se inscreveram: 206 no Galpão do Parque Ipanema e 614 pela internet.

No galpão do Parque Ipanema, uma equipe do Departamento de Habitação da Secretaria de Planejamento já está à disposição do público, e foi ali que também compareceu Edmar Pereira Gomes, de 34 anos, nesta quarta-feira. Ele mora de aluguel com a família em uma casa de três cômodos, no bairro Bethânia. Paga R$ 250 a cada mês e tem um salário bruto de R$ 1.800. Casado e pai de dois filhos, Edmar não perdeu tempo. Contou que saiu do trabalho às 7h e esperou ansiosamente pelo início do atendimento. “Vim assim que fiquei sabendo. Preciso muito sair do aluguel e ter a minha própria casa. Se for sorteado, será ótimo”, disse.

Sorteio

Assim como Marluce e Edmar, várias outras famílias passaram pelo Parque Ipanema no primeiro dia de inscrição. Pela internet, já foram feitas mais de 200 inscrições. Todas as inscrições serão catalogadas num banco de dados único. Posteriormente, a PMI realizará um sorteio em local público e amplo para definir os contemplados, a partir das famílias selecionadas segundo critérios de prioridade e que atendam aos principais requisitos do Programa Minha Casa, Minha Vida. Além dos critérios nacionais de carência, a administração de Ipatinga adicionou como fator para pontuar em favor dos interessados a comprovação de residência no município por um período de no mínimo cinco anos. São prioridades famílias em situação de aluguel social, residentes em áreas de risco, pessoas com deficiência, idosos e mulheres chefes de família.

inscriçoes

Maria Geralda, moradora do bairro Veneza, contou que tomou conhecimento das inscrições pelas redes sociais.

Maria Aparecida Geralda, de 48 anos, é arrimo de família e paga R$ 300 de aluguel em uma moradia no bairro Veneza. Com uma renda familiar de um salário mínimo (R$ 954), ela conta que ainda sustenta outros dois filhos que atualmente estão desempregados. “Recebi a notícia desta inscrição pelo WhatsApp e vim correndo fazer, porque já participei de associações que prometiam casa própria e foi em vão. Agora, tenho esperança porque é direto com a prefeitura. Preciso urgente sair do aluguel”, afirma.

Inicialmente serão selecionadas 312 famílias, que passarão por avaliação e comprovação dos dados informados no momento do cadastro. O número é superior às 240 primeiras unidades habitacionais disponibilizadas para que haja uma reserva e seja possível a substituição caso se verifique o não atendimento de critérios definidos por portaria do Ministério das Cidades. Além do limite de renda, outra exigência básica é que a família não possua outro imóvel residencial.

Os contemplados no sorteio pagarão um valor simbólico pelas moradias, em 120 parcelas que podem variar de R$ 80 a R$ 270, dependendo da renda familiar bruta.

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *