Bispo Dom Lelis Lara ganhará memorial em Fabriciano

FABRICIANO – Ao completar dois anos do seu falecimento, o saudoso bispo emérito da Diocese de Itabira-Coronel Fabriciano (MG), dom Lelis Lara, ganhará no próximo dia 8 de dezembro, um memorial na Catedral de Coronel Fabriciano. A informação foi repassada ao JBN nesta sexta-feira (30), pelo Padre Cláudio, durante encontro na Casa Paroquial da Paróquia São Sebastião, com os vereadores Adriano Martins, Luciano Lugão e Xingozinho.

Conforme informou Padre Cláudio, era um desejo do Bispo Dom Lelis Lara ser sepultado na Categral, mas as coisas aconteceram muito rápido e ficaria meio que conturbado movimentar um memorial assim que fosse decretado o seu falecimento.  Padre Cláudio contou ao JBN, que o memorial de Dom Lelis Lara será inaugurado no dia 8 de dezembro, durante a missa das 19h. “Vamos render essa homenagem. Creio na satisfação do nosso Bispo”, resumiu.

O bispo emérito da diocese de Itabira-Coronel Fabriciano (MG), dom Lelis Lara morreu aos 90 anos, no dia 8 de dezembro de 2016. O prelado foi internado no hospital metropolitano da Unimed, em Coronel Fabriciano, no dia 29 de novembro para tratar uma pneumonia. Dom Lara foi ordenado padre, em 1951 e nomeado bispo auxiliar de Itabira-Coronel Fabriciano pelo Papa Paulo VI, em 1976. Em 2003, renunciou ao cargo, de acordo com as normas do Direito Canônico, por questão de idade.

Manteve programas na TV e rádios, em Itabira, e era, presidente da Sociedade Dom Bosco de Comunicação de Coronel Fabriciano, entidade mantenedora da TV UNI do Vale do Aço. Também foi membro da Diretoria da União Brasileira de Educação e Cultura (Ubec), entidade mantenedora do Centro Universitário do Leste de Minas Gerais (Unileste), como também da Universidade Católica de Brasília (UCB) e Faculdades Católicas de Palmas (TO). Dom Lelis presidiu da Cáritas Diocesana.

História

Natural de Divinópolis (MG), dom Lara nasceu em 19 de dezembro de 1925. Muito jovem, ingressou no Seminário da Congregação Redentorista em Congonhas (MG), onde cursou o 2º grau (1938-1944) e se preparou para a vida religiosa. Em 1945, foi para Juiz de Fora (MG) estudar no Seminário da Floresta, onde realizou a profissão religiosa e, deu prosseguimento aos estudos, graduando em Filosofia e Teologia, em 1951, sendo ordenado sacerdote aos 26 anos.

Em 1954, dom Lara foi estudar em Roma na Pontifícia Universidade Gregoriana e Angelicum, onde concluiu estudos de nível superior em Direito Canônico, Espiritualidade e Música. Doutorou-se em Direito Canônico, no ano de 1958. Nesse período escreveu sua Tese de Láurea: “De Requisitis in subiecto ordinationis ab Ecclesiae Exordiis Usque ad Conc. Nicaenum”.

De volta ao Brasil, em 1958, passou um ano em Missões e em 1959, assumiu a Cátedra de Direito Canônico, Liturgia e Espiritualidade no Seminário Maior Redentorista de Juiz de Fora (MG), onde foi diretor espiritual e reitor do Seminário, permanecendo até 1970. Até 1976 foi vigário episcopal e pároco da paróquia São Sebastião de Cel. Fabriciano (MG).

Atividades como Bispo

No dia 06 de dezembro de 1976, foi nomeado bispo auxiliar da diocese de Itabira-Coronel Fabriciano (MG) pelo Papa Paulo VI. No ano seguinte, foi sagrado pelo bispo diocesano dom Mário Teixeira Gurgel. Tendo como lema “Caritas omnia credit” (A caridade tudo crê – 1Cor. 13,7).

Preocupado e sensibilizado com a questão social das crianças e adolescentes sem referência familiares e abandonadas, dom Lara criou uma instituição onde pudesse abrigar e educar esses jovens. Assim, em 06 de maio de 1971, criou a Fundação Comunitária Fabricianense (Funcelfa). Em 06 de dezembro de 1976, deu início à “Cidade do Menor”, entidade ligada a Funcelfa, para abrigar crianças e adolescentes. Na data de sua ordenação episcopal, 02 de fevereiro de 1977, foi a primeira noite que 16 meninos dormiram na “Cidade do Menor”, hoje, “Cidade dos Meninos”.

Em 1977, dom Lara se integrou à Comunidade Episcopal do Regional Leste 2 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Nas Assembleias da Conferência, se fez presente, assumindo funções de grande importância para o conjunto do episcopado brasileiro, como também para os fieis e população brasileira, tais como trabalhar nas Comissões de estudos sobre a conjuntura nacional.

Em 1991 assumiu o Colégio Técnico Pe. De Man e em 1992, o Instituto Católico de Minas Gerais (ICMG), sucessor da PUC – Campus de Coronel Fabriciano. Dom Lara foi nomeado grão chanceler da Sociedade Educacional União e Técnica (SEUT), mantenedora do ICMG, declarado Centro Universitário Unileste aos 06 de junho de 2000.

Em 1998, Dom Lelis Lara foi nomeado moderador do Tribunal Eclesiástico do Regional Leste 2, da CNBB. E em 06 de dezembro de 1995, nomeado bispo-coadjutor e, em 22 de maio de 1996, tornou-se o terceiro bispo diocesano da diocese de Itabira-Coronel Fabriciano, pela renúncia de dom Mário Teixeira Gurgel. Em 23 de junho de 1996, assumiu a diocese – “transmissão do báculo”. Foi assessor Jurídico da CNBB.

 

 

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *