A histórica Ponte Queimada pede socorro

MARLIÉRIA – A reforma da Ponte Queimada que esteve dentro do pacote do licenciamento da MG-760, continua na conversa. A ponte construída na década de 1930 pela então empresa Cia. Aços Especiais Itabira – Acesita, guarda a história de um único caminho para o escoamento da produção de carvão, e uma importante ligação do Vale do Aço a outras cidades da Zona da Mata.

Em ruínas há anos, o seu tablado está totalmente deteriorado pelo tempo. A possibilidade de acidentes está iminente, porque a falta de pranchões e as peças soltas em sua passarela oferecem risco a quem ainda usa a estrada da Mata do Parque.

As prefeituras de Timóteo, Marliéria, Pingo D’Água, Córrego Novo e Dionísio, municípios vizinhos ao  Parque Estadual do Rio Doce, na opinião dos usuários da estrada, poderiam está se oferecendo para a reforma. A primeira medida é promover a reforma do tablado e passarela, de igual maneira foi feito na ponte do Ribeirão do Turvo, antes que uma tragédia venha acontecer.

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *