A deterioração de espaços públicos incomoda a população

Na quadra Poliesportiva do Bairro Alvorada, com obras iniciadas e paralisadas pelo poder público, sem nenhuma fiscalização da prefeitura, crianças e adolescentes correm até risco de morte.

TIMÓTEO (Fotos PCReis) – Caso algum cidadão de Timóteo queira planejar jogar bola nas quadras poliesportivas dos Bairros Ana Rita, Bela Vista, Alvorada, São Cristóvão, Vale Verde, Olaria, Novo Horizonte e Alphaville,  deve se equipar de muito mais que tênis e meias. Não seria exagero levar um facão, uma enxada ou uma foice, para cortar o mato que praticamente escondem as quadras ou mesmo tomar de imediato uma vacina antitetânica, caso seja fisgado nas pontiagudas ferragens e telas.Na quadra Poliesportiva do Bairro Alvorada, com obras iniciadas e paralisadas pelo poder público, utilizada mesmo com todos os perigos evidentes e sem nenhuma fiscalização da prefeitura, crianças e adolescentes correm até risco de morte.

Com ferragens enferrujadas e expostas, colunas de ferro próximas às linhas laterais, são os ingredientes para causar um acidente com maiores gravidades. Não muito longe dali está à quadra do Bairro São Cristóvão. Um espaço público que custou aos cofres do município cerca de meio milhão de reais, está sendo deteriorado aos olhos de uma população que declara ver o dinheiro público indo pelo ralo.

Quadra da Rua Urucânea, no Bairro Bela Vista.
Quadra da Rua Mariana, no Bairro Bela Vista.

Por outro lado, quem precisa usar a escadaria da Rua Ipatinga, no Bairro Bela Vista deve ter cautela. A situação chama a atenção para a falta de manutenção encontrada em espaços de uso comum na cidade, abandonados pelo poder público.

Ainda no Bela Vista, duas áreas de convivência que poderiam atender a população da parte mais vulnerável do  bairro, estão tomadas pelo mato e pela falta de conservação. O piso, arquibancada, marcação, tela, gols e banheiros da quadra Poliesportiva da Rua Mariana, que também custou quase meio milhão de reais, é um afronta a comunidade que carece de um espaço descente para a prática esportiva.

Quadra do Bairro Ana Rita.

No mesmo Bairro Bela Vista, os moradores reclamam há anos da situação degradante da quadra poliesportiva, localizada na Rua Urucânea. A quadra na opinião dos moradores, ao invés de oferecer opção de lazer para as crianças, tem sido uma tremenda dor de cabeça para as famílias. Visivelmente  sem manutenção, o mato tomou conta do equipamento público. A arquibancada e os banheiros estão escondidos no matagal. O alambrado de proteção não existe mais, assim como a iluminação.

Cemitério Recanto da Paz e a sua Capela Velório é um desrespeito aos vivos e mortos.

Ainda no Bela Vista, encontramos o Cemitério Recanto da Paz, que tem ocupado espaço nos noticiários pela falta de respeito com os mortos. A partir da Capela Velório que deveria ser interditada pela péssima acomodação em todos os aspectos, entramos no interior do cemitério para deparar com uma infestação de escorpiões.

Agência dos Correios da Praça 29 de Abril está fechada devido aos constantes assaltos. Falta de segurança e representatividade política.

Deixando o Recanto da Paz com todos os seus problemas estruturais, partimos para a Praça 29 de Abril. Abandonados a própria sorte e sem a representação política devida, os mais de 20 mil moradores do Regional Sul da Cidade de Timóteo, estão obrigados a um deslocamento de 8 km até a Regional Norte, Centro Comercial da Alameda 31 de Outubro para postar uma correspondência, devido ao fechamento branco e definitivo da agência da Praça 29 de Abril, provocado por falta de segurança. De igual maneira vive os moradores do Distrito de Cachoeira.

Há mais de dois anos também por falta de segurança, a agência dos Correios local foi fechada há poucos metros de um posto de apoio da Polícia Militar.  Saindo da sofrida Praça 29 de Abril, onde os comerciantes são constantemente assaltados ‘a luz do dia’, vamos observar o Ribeirão Timóteo. Na altura da Praça entre as Ruas Uruguai e Avenida São João, os moradores já não aguentam mais implorar pela limpeza do córrego, onde  robustas árvores impedem o escoamento do filete de água.

A Pracinha do Choupana pede socorro.

Deixamos o Córrego Timóteo e seus problemas, seguimos no sentido da Rua Chile, no Bairro Santa Cecília. Lá encontramos a Pracinha do Choupana completamente abandonada. De igual maneira está a Praça da Avenida Brasil, no Bairro Ana Rita, tomada por mato e entulho.

Este diagnóstico apontado muito mais para a Regional Sul da cidade de Timóteo, é uma sugestão de leitores, que sugeriram como pauta a “degradação” de espaços públicos. Na próxima semana, o JBN estará abordando com detalhes outras situações em regionais da cidade.

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *