R$ 375 mil | Prefeito de Pingo-D’água assina Termo de Cooperação Técnica e Financeira com a Fundação Renova

Os recursos são para suplementação de profissionais das equipes técnicas que atuam no atendimento a famílias em situação de vulnerabilidade. (Foto Marcelo Braga)

PINGO D’ÁGUA – Os municípios de Rio Casca, na Zona da Mata, e Pingo-D’Água, no Vale do Aço, ambos em Minas Gerais, formalizaram uma parceria com a Fundação Renova que visa a execução do Plano Municipal de Reparação em Proteção Social e a disponibilização de valores financeiros que somam mais de R$ 800 mil. O Termo de Cooperação Técnica e Financeira foi assinado nesta terça-feira (2) com as prefeituras, através do prefeito Luiz Paulo, de Pingo D’água, e da prefeita Marleyde de Paula Mucida Miranda, a Leidinha, de Rio Casca.

O município de Rio Casca assinou o Termo de Cooperação Técnica e Financeira para receber mais de R$ 425 mil. O repasse para Pingo-D’Água será num total de R$ 375 mil. A iniciativa de Proteção Social tem como foco ampliar o atendimento a famílias vulneráveis que residem nas localidades atingidas pelo rompimento da barragem de Fundão.

“Os recursos são para suplementação de profissionais das equipes técnicas que atuam no atendimento a famílias em situação de vulnerabilidade. Dentro do plano, estão previstos ainda a aquisição de equipamentos para melhorar a infraestrutura dos espaços públicos e insumos para realização das oficinas dos serviços de convivência e fortalecimento de vínculos”, diz Desirée Mourão, do Programa de Proteção Social da Fundação Renova.

O programa tem por objetivo promover a proteção social por meio de ações socioassistenciais, incluindo iniciativas socioculturais e apoio psicossocial, a fim de acompanhar as famílias e os indivíduos impactados pelo rompimento da barragem de Fundão.

Sobre a Fundação Renova

A Fundação Renova é uma entidade de direito privado, sem fins lucrativos, constituída com o exclusivo propósito de gerir e executar os programas e ações de reparação e compensação dos danos causados pelo rompimento da barragem de Fundão.

A Fundação foi instituída por meio de um Termo de Transação e de Ajustamento de Conduta (TTAC), assinado entre Samarco, suas acionistas Vale e BHP, os governos federal e dos estados de Minas Gerais e do Espírito Santo, além de uma série de autarquias, fundações e institutos (como Ibama, Instituto Chico Mendes, Agência Nacional de Águas, Instituto Estadual de Florestas, Funai, Secretarias de Meio Ambiente, dentre outros), em março de 2016.

 

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *