Prefeitos discutem a integração do transporte público no Vale do Aço

IPATINGA – O transporte público na Região Metropolitana do Vale do Aço (RMVA) tem sido pauta recorrente entre os gestores municipais e possui uma crescente discussão a respeito da necessidade de integração dos sistemas urbanos e interurbanos. Nesse sentido, os prefeitos da RMVA, além de representantes da Agência de Desenvolvimento da Região Metropolitana do Vale do Aço (ARMVA), das empresas de transporte público que atuam na região e técnicos do setor participaram de reunião realizada nesta quinta-feira (18) para debaterem a respeito da possibilidade de implantação de um sistema de transporte metropolitano.

A reunião foi conduzida pelo prefeito de Santana do Paraíso, Bruno Morato, na condição de presidente da Assembleia Metropolitana e pelo diretor-geral da ARMVA, João Luiz Teixeira Andrade, como 1º secretário do colegiado, e contou com a presença virtual do prefeito de Ipatinga, Gustavo Nunes, além do secretário municipal de Planejamento de Timóteo, Thales Castro, representando o prefeito Douglas Willkys. O encontro foi um desdobramento da reunião da Assembleia Metropolitana da RMVA, realizada no fim de fevereiro, na qual o tema transporte público foi estabelecido como uma das prioridades a serem trabalhadas em prol da região.

O consultor técnico e engenheiro de transportes André Barra apresentou argumentos que destacam os benefícios da integração dos sistemas de transporte, como a melhoria da prestação do serviço para os usuários do transporte, além da economia para municípios e estado.

Integração por consórcio

Atualmente, no território da RMVA coexistem cinco sistemas de transporte, sendo quatro municipais e um estadual. Portanto, esses sistemas são geridos por cinco entes federados distintos, com leis e regulamentos próprios, além de editais de concessões específicos que originam contratos de longo prazo com normas, exigências, metodologias tarifárias e parâmetros de qualidade de serviço diferentes.

Com o embasamento técnico e discussões feitas, os participantes da reunião concluíram que é urgente a unificação dos cinco sistemas de gestão em apenas um.  A unificação da gestão possibilitará a unificação das operações, o que envolve quadros de horários, definição e otimização das rotas, distribuição de pontos de parada e definição de terminais de integração, bem como a lógica tarifária.

A proposta discutida durante a reunião foi a associação dos diferentes sistemas por meio da figura jurídica de um consórcio público. Desse modo, municípios e estado, uma vez consorciados, teriam condições legais para delegarem as suas respectivas competências de gestão do transporte para o consórcio, que passaria a administrar o sistema único criado.

Ficou definido que prefeituras em parceria com a Agência RMVA realizarão busca célere e conjunta para a implantação do transporte público unificado. Somente com uma ação robusta e integrada será possível avançar nessa pauta de interesse comum aos municípios da RMVA e estado, e de extrema necessidade para a população metropolitana.

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *