Dia da Luta Antimanicomial é comemorado com eventos em Coronel Fabriciano

FABRICIANO – A Prefeitura de Coronel Fabriciano, por meio da Secretaria de Governança da Saúde, realiza neste mês uma séria de ações em comemoração ao Dia da Luta Antimanicomial, comemorado em 18 de maio. A data lembra a luta contra os manicômios no Brasil que resultou na política atual de saúde mental e na configuração da RAPS – Rede de Atenção Psicossocial.

A cidade possui toda uma estrutura de atendimento por meio de dois CAPS – Centro de Atenção em Saúde Mental infanto-juvenil (em processo de habilitação) e adulto, que fica no CASAM, à Rua Vale do Tocantins, 51 Bairro Morada do Vale. O serviço é de porta aberta, podendo qualquer pessoa que esteja em sofrimento mental ou com transtorno persistente, procurar atendimento diretamente na unidade.

Giselle Oliveira, psicóloga e Referência Técnica em Saúde Mental do município, comemora a estrutura oferecida, que segundo ele democratiza os tratamentos. Segundo ela, “qualquer pessoa que queira conhecer pode ir lá que temos horários de atendimento com psicólogo, técnico ou assistente social e isso é muito importante para combater a discriminação”.

No CASAM estão ocorrendo reuniões e seções de terapia com artesanato, música, pintura, artes e outras atividades voltadas para a capacitação e avaliação dos casos por meio dos matriciamentos. “Queremos fortalecer a conscientização e a assistência para que os pacientes se sintam acolhidos”, disse.

SEMINÁRIO

Para marcar a data, a secretaria de Governança da Saúde por meio da Gerência de Atenção Especializada, preparou para os dias 1º. e 2 de junho, o ll Seminário de Saúde Mental. O evento será realizado no auditório do Centro Administrativo Mariano Pires Pontes e será aberto aos profissionais de saúde. A programação inclui palestras e rodas de conversa.

“Em nome da nossa administração temos buscado implantar políticas públicas de inclusão do paciente de saúde mental. O paciente da saúde mental está inserido em nosso meio e precisa ser enxergado. É isso que estamos realizando”, afirma Danielle Miranda, Gerente de Atenção Especializada.

Para fortalecer ainda mais o serviço, o município apresentou ao governo do estado solicitação de habilitação de 4 leitos do Hospital Dr. José Maria Morais para atendimento exclusivo para pacientes com necessidade de atendimento de urgência.

“O hospital está preparado com uma equipe capacitada, então isso será um ganho gigantesco uma vez que o paciente não precisará mais ser levado para outra cidade, como Belo Horizonte. Nós ansiamos por essa habilitação”, afirma Danielle. Segundo Danielle, a solicitação está em análise junto ao Governo Federal.

HISTÓRIA

Em 2021, comemora-se 31 anos do movimento da Luta Antimanicomial no Brasil. Este movimento teve início na década de 70, mas ganhou força no ano de 1987 por dois momentos importantes que levaram a escolher esta data como o dia “D” da Luta Antimanicomial. O encontro dos trabalhadores de Saúde Mental na cidade de Bauru/SP e a I Conferência Nacional de Saúde Mental, em Brasília.

Manifestos contra os abusos e a violação de direitos humanos contra pacientes dentro dos manicômios reivindicavam o fim desse tipo de tratamento e a reforma psiquiátrica que ocorreu anos depois a partir da criação da Lei 10.216/2001 que trata da proteção dos direitos das pessoas com transtornos mentais e redireciona o modelo de assistência. Este marco legal estabelece a responsabilidade do Estado no desenvolvimento da política de saúde mental no Brasil, através do fechamento de hospitais psiquiátricos, abertura de novos serviços comunitários e participação social no acompanhamento de sua implementação.

Fonte: http://www.blog.saude.gov.br/index.php/promocao-da-saude/52612-18-de-maio-dia-nacional-da-luta-antimanicomial

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *