Relatório de fiscalização no Hospital José Maria Morais sugere transferência de pacientes e fechamento de UTIs

Fabriciano (Matéria atualizada 02/08/2020 – 13h20)– A falta de equipamento para hemodiálise nas UTIs para pacientes contaminados pela Covid-19 e falta de antibióticos, no Hospital José Maria Morais, de Coronel Fabriciano, denuncia anônima levada ao Ministério Público e objeto da fiscalização da Secretaria de Estado da Saúde, pode até comprometer novas internações naquela unidade hospitalar.

No relatório das inspeções realizada nos dias 02/06, 29/06 e 30/07 pela Secretaria de Estado da Saúde, através da Superintendência Regional situada em Fabriciano, a autoridade sanitária afirma que a denúncia encaminhada anonimamente ao Ministério Público é procedente. Sendo assim, além do relatório sugerir que novas internações não sejam realizadas no Hospital José Maria Morais antes de sanar tal situação, também indica uma avaliação quanto a transferência de pacientes para outro hospital.

NOTA DA SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE

Em nota enviada ao JBN, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) informa que nos dias 2/6, 29/6 e 30/7 foram realizadas inspeções da Vigilância Sanitária (VISA) no Hospital José Maria Moraes (HJMM), em Coronel Fabriciano. Na ocasião foram encontradas inconformidades em relação aos leitos de UTI e o Hospital foi notificado a providenciar as devidas adequações.

Desta forma, visando reduzir os riscos aos pacientes, foram interditados cautelarmente, os leitos de UTI’s, obedecendo às recomendações da Vigilância Sanitária e da Central de Regulação de Leitos, que orientou ao HJMM a fazer o cadastro do laudo de transferência de todos os pacientes em leitos de UTI para busca de leitos em outros prestadores habilitados em leito de UTI, até a regularização do serviço, objetivando garantir a assistência integral e universal desses pacientes e evitar danos e riscos a saúde deles.

Ressaltamos que a interdição cautelar diz respeito tão somente às internações em leitos de Terapia Intensiva, ou seja, os demais atendimentos do HJMM continuam sendo realizados à população normalmente. O retorno das atividades na UTI está condicionado à regularização das inconformidades apuradas.

NOTA DA PREFEITURA (01.08.2020)

Em nota enviada ao JBN  na tarde deste sábado (01/08), a prefeitura de Coronel Fabriciano responsável pela administração do Hospital Dr. José Maria Morais, esclarece que nesta sexta-feira, 31/07, foi surpreendida por uma visita da Vigilância Sanitária da Superintendência Regional de Saúde (SRS), informando que recebeu denúncia anônima da falta de equipamento de hemodiálise.
Ressaltamos que o HJMM dispõe de 01 equipamento no Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES) 7082886, e com o aumento de casos devido a pandemia, o mesmo apresentou problemas técnicos que imediatamente foram solucionados e inclusive continua atendendo pacientes internados com Covid-19.
Como forma de garantir tranquilidade aos pacientes, o hospital por meio da Secretaria de Governança da Saúde também realizou empenho com recursos próprios para a compra de mais três máquinas de hemodiálise e que se encontram em vias de entrega.
Neste período, cadastramos os pacientes que precisavam de no SUSFÁCIL cujo translado foi garantido em ambulância de UTI devidamente paga pelo município.
O Hospital Dr. José Maria Morais em tempos de pandemia tem trabalhado incansavelmente na ampliação com espaço físico para 59 leitos, e se tornado referência na prestação de serviço em enfrentamento a Covid-19. A instituição tem arcado com recursos próprios com as despesas hospitalares, a exceção dos últimos respiradores doados pelo governo do Estado de Minas Gerais, que, aliás, tem uma dívida com o hospital de R$ 12 milhões. Mesmo assim, a unidade hospitalar não deixou de prestar atendimento humanizado e responsável aos pacientes.
O município lamenta a ação da SRS, que neste momento de pandemia, pode impedir o hospital de garantir atendimento à população, e reforça que atualmente apresenta uma taxa de letalidade de 1,52%, em decorrência do Coronavírus e continua trabalhando de forma responsável.

NOTA DA PREFEITURA (02.08.2020 – 12h38)

Neste domingo (2), às 12h38, a prefeitura de Fabriciano informou que o Juiz plantonista Rafael Drumond de Lima, indeferiu o pedido de liminar do Ministério Público que pedia a interdição dos leitos de UTI Covid e clínicos do Hospital Dr. José Maria Morais. A decisão do Magistrado ao prolator da sentença garante o funcionamento pleno do hospital.

As determinações contidas na decisão já vinham sendo cumpridas pelo município e, que inobstante a dívida do Estado de Minas Gerais na órbita de R$ 12 milhões de reais só com o Hospital Dr. José Maria Morais, adquiriu 03 máquinas de hemodiálise na semana que se passou, aguardando apenas a entrega das mesmas.

Defendemos que faltou bom senso em entender que com o aumento da demanda em relação ao combate à pandemia, o município e todos nós ficamos sujeitos a eventos e prazos alheios a nossa vontade. A equipe do hospital é a mais completa possível para um hospital de média complexidade que não é referência em nefrologia, atualmente o hospital conta com dois nefrologistas do mais alto gabarito.

Lamentamos o requerimento para a interdição de leitos de UTI covid e clínicos em um momento em que a necessidade extrema é de expansão, onde o Município de Coronel Fabriciano tem socorrido o Estado, triplicando a capacidade do hospital. Isso só se consegue com uma gestão séria, honesta e transparente.

Mais uma vez reafirmamos nosso compromisso em defesa da vida e da saúde do cidadão, fornecendo aos que necessitarem um atendimento humanizado.

Confira abaixo o documento emitido pela Superintendência Regional de Saúde.

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *