Comissões na Câmara de Timóteo investigarão mortes no Tio Questor e denúncias de ‘rachadinha’

Timóteo – Foram formadas na Câmara de Timóteo, na tarde desta terça-feira (11), comissões internas para apurar diversos assuntos. Os dois mais badalados são as mordes por Covid-19 que ocorreram no Sodalício de Tio Questor, e as denúncias do vereador Adriano Costa Alvarenga, de suposta corrupção dentro da Secretaria de Obras, envolvendo  servidores, que segundo Alvarenga, estavam recebendo dinheiro dos prestadores de serviços,  uma espécie de propina. Apesar da comissão na Câmara, a Polícia Civil já investiga o caso por solicitação do prefeito Douglas Willkys e do próprio denunciante.

Também nesta terça-feira, os vereadores que compõe a comissão de Orçamento e Finanças Públicas se reuniram para dar início aos trabalhos de análise do parecer prévio  do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCE/MG) que sinalizou para a aprovação das contas do Executivo Municipal no ano de 2018. Pelo parecer, o Executivo cumpriu os índices constitucionais de aplicação dos percentuais mínimos dos recursos públicos.

Entre os pontos analisados estão gastos com Educação, Saúde, Despesas com Pessoal e Créditos Adicionais. A Comissão é composta pelos vereadores Raimundinho (presidente), Adriano Alvarenga e Fábio Campos Binha (relator). O relator vai começar a análise do parecer para dar seu voto.

Comissões

A Comissão que investigará as mortes no Sodalício Tio Questor está  composta pelos vereadores – membros efetivos, vereador Adriano Alvarenga, Fabio Campos Binha e José Fernando. A instalação desta comissão e escolha do presidente e relator acontecerá na próxima quinta-feira.

A Comissão que investigará possíveis irregularidades (corrupção) ocorridas na Secretaria Municipal de Obras está composta pelo denunciante Adriano Alvarenga, Fábio Campos Binha (presidente) e Geraldo Gualberto (relator).

 

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *