Vereador propõe Audiência Pública para discutir a proteção dos animais em Fabriciano

O presidente da Câmara, vereador Adriano Martins e João Damasceno, brincaram com os cães no pátio da Rádio Educadora de Coronel Fabriciano.

FABRICIANO – Para coibir os maus-tratos a animais em Coronel Fabriciano (MG), o presidente da Câmara Municipal, vereador Adriano Martins (PPS) estará propondo ao plenário através de requerimento na próxima sessão do Legislativo, dia 26 de fevereiro, uma audiência pública para discutir a proteção animal no município, visto que a cada dia aumentam denuncias de maus tratos. O vereador quer elevar o tom da discussão do assunto juntamente com as entidades protetoras na presença de autoridades, para que os agressores sejam realmente punidos.

Em entrevista ao JBN, o vereador reconheceu o trabalho do voluntariado para acabar com o abandono dos animais nas ruas e a luta para fazer funcionar o sistema de adoção responsável e o controle populacional dos bichos.

“O assunto proteção dos animais envolve inúmeros detalhes. A saúde da cidade também passa pelo processo de proteção dos bichinhos. A partir dessa audiência, vamos sugerir a secretaria de Saúde, as castrações e o aparelhamento do  Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) para garantir de fato o controle e a saúde dos animais em Coronel Fabriciano”, revelou Adriano.

LEI “FAZ BEM CUIDAR DOS CÃES”

De autoria do vereador Adriano Martins, está em vigor no município, porém não implementada, a lei que  institui na cidade o programa “Faz Bem Cuidar dos Cães”. A lei visa implantar o procedimento de castração aos cães abandonados pelas vias urbanas do município.

“Tenho discutido esse assunto aqui na Câmara desde o meu primeiro mandato enquanto parlamentar. Penso que devemos dar um tratamento digno a esses cães que ficam soltos pela cidade, gerando dez, 12 e até 14 filhotes, que estarão na mesma situação. Em conversa conosco, empresários e pessoas que protegem os animais nos cobraram uma postura firme, um posicionamento que defenda a população de doenças que venham ser transmitidas por esses cães abandonados”, justificou Adriano.

A lei também prevê a implantação de um cadastro municipal, por meio do programa de vacinação de animais, promovido pela Secretaria Municipal de Saúde. A matéria ainda pede a regulamentação e funcionamento do Canil de Adoção municipal.

 

 

 

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *