Usiminas lança nova ação de Educação Ambiental em Ipatinga

Eva Sônia Rodrigues Silva, secretária de Educação de Ipatinga.  

IPATINGA – A partir deste mês de julho, professores de diversas escolas de Ipatinga terão uma nova ferramenta para trabalhar a educação ambiental em sala de aula. O material é o encarte Ecológico nas Escolas, publicado pela revista Ecológico, uma das principais publicações do país voltada a temas ambientais e à sustentabilidade. A partir de um patrocínio da Usiminas, mensalmente, professores do ensino fundamental II, do 5º ao 9º ano, receberão exemplares da publicação, com o encarte específico para formação dos estudantes no tema. Ao todo, serão cerca de 420 exemplares destinados à rede municipal de Ipatinga.

“Contar com a Usiminas, essa grande empresa, é um privilégio para a Secretaria de Educação de Ipatinga. O Projeto Ecológico nas escolas chegou em um momento oportuno, apresentando valores consonantes com o desenvolvimento da Educação em Tempo Integral da Rede Municipal de Ensino: Educação Ambiental e Empreendedorismo Social. Acreditamos que juntos, faremos a diferença na formação de alunos mais conscientes, cidadãos que atuarão na construção de um mundo sustentável”, avalia Eva Sônia Rodrigues Silva, secretária de Educação de Ipatinga.

A cada mês, o encarte trata de um tema diferente, como reciclagem, água, consumo sustentável entre outros. A primeira edição, que chega ao Vale do Aço nos próximos dias, tem como tema central a eficiência energética. Os professores irão encontrar informações sobre a geração de energia, a diferença entre as diversas fontes, além de orientações de como reduzir o consumo de forma simples.

“Os temas ambientais nunca foram tão atuais e a Usiminas tem uma forte tradição de apoio à educação ambiental, seja por meio do Xerimbabo ou das atividades ligadas ao ‘Ação Educativa’, realizadas pelo Instituto Usiminas. Agora, vamos ampliar esse trabalho proporcionando que o professor receba um material de apoio com qualidade e de maneira periódica para que o debate em sala de aula seja constante e contribua para a formação de cidadãos conscientes”, avalia Américo Ferreira Neto, diretor da Usina de Ipatinga.

Histórico Ambiental

O projeto “Ecológico nas Escolas” teve sua primeira edição em 2010, por meio da Secretaria Estadual de Educação, que destinou a exemplares a rede estadual em alguns municípios. Na época, foi realizada uma pesquisa com os professores, que disseram utilizar em sala de aula não apenas o encarte Ecológico nas Escolas, mas todo o conteúdo da revista como fonte de ensino.

A parceria para a distribuição do Ecológico nas Escolas em Ipatinga é o exemplo mais recente de uma ação presente há décadas. Desde sua fundação, a Usiminas desenvolve ações em prol do meio ambiente tanto por meio dos diversos mecanismos de controle em sua operação quanto com atividades que envolvem estudantes e as comunidades vizinhas.

A companhia mantém 29 mil hectares, o equivalente a 29 mil campos de futebol, de áreas preservadas, e possui um viveiro de mudas instalado dentro de Ipatinga. A área verde ocupa 180 hectares e foi toda plantada pela empresa em um antigo pasto adquirido ainda na década de 1960. Ao longo dos anos, o terreno degradado foi se tornado verde e se transformou um exemplo de floresta urbana. A criação oficial do viveiro ocorreu na década de 1980 e, hoje, o local é uma Reserva Privada do Patrimônio Natural.  A cada ano, de lá, saem cerca de 25 mil mudas que são usadas na arborização das áreas da Usiminas, recuperação de nascentes e mata ciliares e doadas para prefeituras e para a comunidade por meio de diversas campanhas solidárias ao longo do ano. Desde sua criação, mais de 3 milhões de mudas cultivadas no espaço ajudaram a recuperar áreas e contribuíram para transformar a então paisagem de Ipatinga em uma cidade com uma extensa área verde.

A Usiminas também é responsável por um dos programas de educação ambiental mais antigos do Brasil, o Xerimbabo. Em 35 anos de existência, o programa já beneficiou 2,5 milhões pessoas e tem papel importante na conscientização de estudantes e moradores do Vale do Aço em relação à preservação ambiental, fauna e flora.

Outra iniciativa recente, mas já reconhecida nacionalmente, é o programa Mobiliza, que reúne o Caminhos do Vale e Todos pela Água. Em pouco mais de quatro anos, as ações já apresentaram, entre outros resultados, a recuperação de mais de 1,8 mil quilômetros de estradas rurais e outros 80 quilômetros de vias urbanas em 54 municípios, com o uso do agregado siderúrgico anteriormente encaminho para aterros, além da recuperação de mais de 2900 nascentes.

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *