segunda-feira, março 4, 2024
DestaquesPolítica

Laranjas do PSL: Suplente do Ministro do Turismo, Enéias Reis, pode retornar a Câmara de Fabriciano

O futuro do ministro do Turismo, deputado federal Marcelo Álvaro Antônio, será definido na volta do presidente Jair Bolsonaro, que se encontra no Japão.

IPATINGA – A Polícia Federal prendeu na manhã desta quinta-feira (27), um assessor especial do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, por envolvimento com supostas candidaturas de laranjas do PSL em Minas Gerais. Mateus Von Rondon foi detido em Brasília.

Além Rondon, foram presos em Ipatinga um dos coordenadores da campanha de Álvaro Antônio à Câmara dos Deputados em 2018, Roberto Silva Soares, o Robertinho, e um ex-assessor do ministro na Câmara dos Deputados, Haissander Souza de Paula.

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) já admitiu que a situação do Ministro do Turismo, Marcelo Álvaro, vem causando desgaste para o governo e que esperaria a conclusão da apuração da PF para decidir o destino do mesmo. O presidente está em viagem ao Japão e ainda não se manifestou sobre as prisões.

DANÇA DAS CADEIRAS

Se Enéias Reis retornar ao Legislativo Fabricianense, quem deixará a cadeira é o suplente Eugênio Pascellli. 
O suplente de deputado federal, Enéias Reis, que por sinal tem recebido elogios no cargo, retornará à Câmara de Coronel Fabriciano.

Com as prisões iniciadas nesta quinta-feira, permanece insustentável a permanência do Ministro Álvaro Antônio frente à pasta do turismo. Caso seja exonerado, restará ao ministro o retorno ao Congresso Nacional para ocupar a sua cadeira de deputado federal, hoje ocupada pelo suplente Enéias Reis, que ainda tem cadeira na Câmara Municipal de Fabriciano, onde permanece licenciado. O lugar de Enéias Reis na Câmara de Fabriciano está o suplente Eugênio Pascelli (DEM).

Desde fevereiro, a PF e o Ministério Público Eleitoral investigam o PSL, o partido do presidente Jair Bolsonaro, pelo uso de candidaturas de fachada para desvio de recursos do fundo eleitoral. Promotores veem indícios de fraude em caso de mulheres que receberam volume considerável de dinheiro, mas tiveram poucos votos. A suspeita é que elas não fizeram campanha e combinaram a devolução de recursos ao partido.

A empresa do assessor Mateus Von Rondon aparece na prestação de contas de quatro candidatas a deputada estadual e federal suspeitas de terem sido usadas como laranjas pelo PSL de Minas.

NOTA

Em nota nesta quinta-feira, o Ministério do Turismo afirmou que aguarda mais informações para se pronunciar, mas disse não haver relação entre as investigações e as atividades de Von Rondon na pasta.

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *