Fabriciano faz balanço de queimadas, afirma ser criminosas, mas ninguém foi preso até agora

Fabriciano – Mais de 90% dos incêndios foram provocados por ação humana – e o pior, há indícios de que boa parte é por ação criminosa. Apesar de que provocar incêndio é uma ação que pode levar o autor a ser enquadrado na Lei de Contravenções, Código Penal e na Lei de Crimes ambientais, com multa e até reclusão, em Fabriciano e região do Vale do Aço, ainda não se tem notícias de qualquer indiciamento por essa prática.

A reunião na Prefeitura de Fabriciano nesta segunda-feira (21) entre administração municipal, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e Câmara Municipal, foi simplesmente para apresentar o balanço de combate às queimadas na cidade e no Vale do Aço. No encontro não houve menção sobre os culpados por estas tragédias ambientais que estão consumindo vegetação, nascentes e inúmeras espécies de animais.

Segundo dados do 5º Pelotão dos Bombeiros Militares de Minas Gerais, desde a terça-feira passada, 15/10, apenas o órgão conteve 57 focos incêndios nas cidades de Coronel Fabriciano, Timóteo e Ipatinga em áreas florestais e de matas. Em Fabriciano, os principais pontos atingidos foram a Serra dos Cocais, Contente/Caladão e Caladinho.

“Desde o início das queimadas, há um esforço conjunto de todos os órgãos para conter o avanço e os focos de incêndio. Ontem (domingo), os focos em Fabriciano já estavam sob controle e as equipes trabalham no rescaldo de incêndio”, tranquilizam capitão Ferraz e o tenente Wildemarque, presentes na reunião. A previsão é de chuvas 92 milímetros para esta semana, com probabilidade acima de 80%, fundamentais para minimizar as queimadas que assolam a cidade e o Vale do Aço.

Em Fabriciano, setores como Defesa Civil, Meio Ambiente e Obras Públicas têm atuado no monitoramento e combate aos focos. “Estamos com veículos, como caminhões pipas, e equipes de brigadistas atuando diretamente no combate dos focos, em especial nos Cocais, Contente e Caladão. Já estamos formalizando a compra equipamentos como bombas costais, abafadores e perneiras. Em parceria com o Bombeiros Militar, vamos iniciar um treinamento de equipes para auxiliar, com segurança, neste trabalho”, detalha o Secretário de Governança Política, Everton Campos.

Durante a reunião, também foi anunciada a criação do Conselho Municipal de Prevenção e Combate aos Incêndios, algo inédito na cidade, com foco na prevenção, monitoramento, treinamentos contínuos e combate de incêndios futuros na cidade. “O projeto de lei já está em elaboração e será enviado a Câmara nos próximos dias”, conclui o secretário.

Participaram da reunião o Subcomandante Major Maiquel, do 58º Batalhão da Polícia Militar; o Vice-Prefeito, José Gregório de Paiva Neto; o Secretário de Governança Urbana, Planejamento e Meio Ambiente, Douglas Prado; Gerente de Obras, Geraldo Magela; Gerente da Defesa Civil, Daniel Fernandes e equipe técnica da Prefeitura, além dos vereadores Beto Cavaleiro, Ronilson Burrinho e Miltinho do Sacolão.

DISQUE DENÚNCIA

Durante a reunião, foi reforçado o papel da população na prevenção de incêndios. “Infelizmente, muitos moradores ainda têm o péssimo hábito de colocar fogo em restos de varrição e lixo, apesar dos municípios contarem com coleta de lixo. Com o tempo quente e seco, muitas vezes estes pequenos focos começam a queimar descontroladamente podendo se alastrar rapidamente. Por isso, mais uma vez, pedimos que as pessoas não façam queimadas ou coloquem fogo em lixo”, reforça o capitão Ferraz.

Outra forma da comunidade colaborar é denunciar suspeitos ou autores de incêndios. Gerar fumaça ou provocar incêndio são ações que podem levar o autor a ser enquadrado na Lei de Contravenções, Código Penal e na Lei de Crimes ambientais, com multa e até reclusão. “Para isso, contamos como Disque Denúncia Unificado – DDU 181, cujo anonimato de quem colabora é preservado e fundamental para coibir este tipo de crime e punir os culpados”, reforça Subcomandante Major Maiquel, do 58º Batalhão da Polícia Militar.

Em caso de incêndio, acione: 193 (Bombeiros), 190 (Polícia Militar) e 181 (DDU).

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *