Amor Azul está formalizada Associação de Pais e Amigos das Pessoas Autistas de Timóteo

Elizabeth Almeida Arruda, foi escolhida a primeira presidente da entidade

TIMÓTEO O grupo Amor Azul que reunia pais e amigos dos autistas a partir de agora ganhou uma dimensão maior tornando-se uma entidade. A assembleia de fundação da Associação de Pais e Amigos das Pessoas com TEA – Transtorno do Espectro Autista de Timóteo (Amor Azul) foi realizada no último sábado, 25, nas dependências da Escola Estadual João Cotta de Figueiredo Barcelos, em Cachoeira do Vale.  Nos aspectos legais, o processo de formalização da entidade deverá estar concluído dentro de 15 dias.

“Acreditamos que a institucionalização do nosso grupo, que já existe há mais de dois anos, é um passo importante para fortalecer nosso movimento, que busca o acolhimento das famílias com pessoas autistas, a maior conscientização da população sobre essa condição e a viabilização de políticas públicas que atendam nossas demandas”, comenta o vice-presidente Wellington Teixeira.  Atualmente, o Amor Azul conta com 126 membros e assiste 133 pessoas com TEA.

Durante a assembleia, foi eleita a mesa diretora da entidade, composta por: Elizabeth Almeida Arruda, presidente; Wellington Teixeira, vice-presidente; Magda Lúcia Muniz e Rejane Faioli, secretárias; e Neivison Silva e Elizete Paiva dos Santos, tesoureiros. Foram eleitos também os integrantes do Conselho Fiscal.

De acordo com o Amor Azul, o número de crianças diagnosticadas com esse tipo de transtorno tem aumentando em função da comprovação da existência de vários tipos de autismo. De uma forma geral, os sintomas mais clássicos incluem dificuldades de comunicação, de linguagem e de socialização.

A associação Amor Azul tem por objetivos promover a integração e o acolhimento das famílias com TEA, proporcionando maior interação e troca de conhecimentos; divulgação do tema para a sociedade, através de palestras e eventos; promoção junto aos poderes públicos de políticas públicas para implementação de ações para atendimento das demandas das pessoas com TEA.

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *