Passageiros reclamam da qualidade do transporte coletivo em Timóteo

TIMÓTEO – Está em funcionamento no município de Timóteo, desde janeiro de 2015 o sistema de integração do transporte coletivo. As pessoas que necessitam do deslocamento entre os bairros da cidade pagam somente uma tarifa pela viagem. O local da integração foi delimitado no terminal rodoviário e conta com catracas. Apesar de solicitado pelo JBN, o Decreto Municipal que regulamentou o Sistema de Integração não foi encontrado.

A integração entrou em fase de implantação e deveria está sendo acompanhando de perto a sua funcionalidade. Mas, até então a coisa funciona ‘a deus dará’, visto que a Prefeitura e Câmara de Vereadores não estão fazendo o dever de fiscalizar e muito menos ouvindo a opinião dos usuários. As reclamações sobre a falta de qualidade dos serviços tem sido uma unanimidade entre os passageiros.

Quem depende diariamente do transporte coletivo depois da integração implantada, percebe-se que o número de veículos em circulação na cidade foi reduzido,  complicando a vida dos passageiros que são obrigados a transitarem em ônibus lotado e sem ar condicionado. Mesmo assim, em nota, a prefeitura informou não ter recebido nenhuma reclamação sobre o Sistema de Integração nos últimos três meses.

OBJETIVO

A implantação da Integração tinha como objetivo oferecer conforto e qualidade aos usuários, ainda com o benefício social da economia. Ledo engano, pois a integração em funcionamento somente dentro do Terminal Rodoviário permanece longe em fazer jus ao nome, já que um passageiro que se desloca da Regional Leste para a Regional Sul, é obrigado a ir até ao Centro Norte para embarcar-se em outro coletivo perdendo muito tempo no trajeto.

Em caso restrito, o passageiro que possui o cartão de passe pode desembarcar fora do terminal para fazer um novo embarque. Este novo embarque tem que acontecer antes que extrapole uma hora. Quem paga o embarque com dinheiro ou reside nos bairros distantes, não tem a mesma chance.

OPINIÃO

Maria José Batista, 48, moradora do Santa Maria; Cleusa Nonato, 33, moradora do Alphaville; Maria das Graças, 67, moradora do Bairro Santa Terezinha, compartilharam a opinião da péssima qualidade do transporte coletivo em Timóteo. Elas sugeriram que o assunto seja observado pelos políticos, porque o povo nem sabe onde reclamar. “Na prefeitura é um jogo de empurra. Na Autotrans não adianta. Falei com um vereador, mas não deu em nada. A tal de Integração só beneficiou a empresa, pois, reduziu o número de ônibus, mas continua tendo o mesmo lucro”, relatou Maria José, apoiada pelas colegas.

Cosme Damião, 56, pedreiro, morador do Bairro Recanto Verde; Gilson de Paula, 40, morador do Bairro Macuco; Carlos Nascimento, 67, morador do Bairro Primavera; Marcos Benevides Junior, 58, morador do Bairro Limoeiro,   avaliaram a Integração como um faça de contas. Segundo eles, quem ganhou com isso foi à empresa, porque os passageiros “tomaram brasa”. “Os passageiros que eram transportados em três ônibus, depois da Integração  estão sendo carregados em um”, observou Gilson Paula.

Marcos Benevides, garantiu perder muito tempo no trajeto, principalmente quando está com prestação de serviço em outras regionais. “Já reclamei muito desta Integração. Já reclamei destes ônibus lotados neste calorão. Infelizmente a Prefeitura nunca defende o povo. A empresa tem sempre razão”, reclamou.

PEDIDO DE NOTA

No pedido de nota do JBN a Prefeitura de Timóteo sobre a funcionalidade do Sistema de Integração, bem como o que diz o Decreto que regulamentou a Integração, não foi  esclarecido o questionado. A prefeitura falou apenas da Lei 2.923/09, que criou o segundo passe livre.

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *