Magistério cruza os braços. Hilário anuncia a possibilidade de reajuste para todos os servidores

TIMÓTEO (Fotos PCReis) – O prefeito Geraldo Hilário Torres (PP) afirmou ter condições plenas para discutir e até atender alguns dos pontos da pauta colocada pelos professores da rede municipal que fizeram paralisação de advertência nesta sexta-feira (16). A adesão ao movimento, segundo o Sindicato dos Servidores Públicos de Timóteo – Sinsep – foi de 95% da categoria.
O chefe do Executivo achou precipitada a paralisação, porque, no seu entendimento, existe uma Comissão de Negociação para discutir tais assuntos. “Não será com pressão e prejudicando os nossos alunos que iremos resolver as questões. Sempre mantivemos o diálogo franco com o sindicato”, apontou Hilário.
No final da tarde desta sexta-feira, um grupo reduzido de professores realizou um manifesto na área externa da Prefeitura. Eles pediram respeito da secretária de Educação, Guaraciaba Martins, quando se referir aos professores.
De acordo com o presidente do Sinsep, Antônio Martins, a secretária afirma estar reduzindo o quadro de profissionais, mas dificulta a qualidade do ensino quando promove a superlotação das salas de aula.
Da área externa da Prefeitura, o grupo de professores se dirigiu ao plenário da Câmara Municipal para apresentar aos parlamentares a pauta de negociação. Para receber os professores, a Mesa Diretora da Câmara antecipou a sessão plenária das 19h para 18h.

PAUTA

A paralisação de advertência desencadeada pelos professores tem a pauta resumida no cumprimento da lei 11738/08 que fixa o Piso Nacional do Magistério; o 1/3 da carga horária para atividades extraclasses; Revisão do Plano de Carreira e Estatuto do Magistério; Revogação do Decreto 4971 de 31 de dezembro de 2017 que reduz o salário de professores; Eleição de Diretor conforme lei 3527 de 7 de fevereiro de 2017; prorrogação do concurso pelo prazo de 2 anos conforme previsto no Estatuto do Magistério, no Edital 001/2014 e na Constituição Federal.

GERALDO HILÁRIO

Com a pauta apresentada pelos professores, o JBN conversou com o prefeito Geraldo Hilário, onde o mesmo se posicionou dizendo que achou precipitada a decisão dos servidores do magistério em fazer uma paralisação para provocar uma conversa. Geraldo Hilário afirmou que nomeou uma Comissão de Negociação, que já iniciou as conversas com o sindicato da categoria. Veja o posicionamento do prefeito para cada item da pauta:
 Cumprimento da lei 11738/08 que fixa o Piso Nacional do Magistério;
Hilário – “A Comissão de Negociação estará na mesa de negociação com o sindicato da categoria para definir os pontos desta lei, bem como discutindo a data base para todos os servidores públicos. Posso afirmar que vamos conseguir este ano oferecer aos servidores um reajuste”.
– 1/3 da carga horária para atividades extraclasses;
Hilário – “Neste momento está impossível, porque este ponto requer contratação de pessoal. Se reduzir a carga horária, vou ter que contratar para suprir a falta dos servidores. No momento eu prefiro continuar pagando os nossos compromissos em dia do que correr o risco de deixar os servidores sem 13º, férias e outros compromissos”.
 Revisão do Plano de Carreira e Estatuto do Magistério;
Hilário – “Já pedi à Secretaria de Educação um estudo sobre este assunto. Sabemos da necessidade desta revisão. No momento ideal vamos chamar a categoria para uma conversa a respeito”.
 Revogação do Decreto 4971 de 31 de dezembro de 2017 que reduz o salário de professores;
Hilário – “Não tenho dificuldade para revogar este decreto, desde que os profissionais estejam trabalhando. Este decreto veio para moralizar, visto que alguns professores estavam fora da sala de aula há anos, mas recebendo altos salários. O decreto já apresentou avanços no ponto de vista da moralização. Peço ao sindicato que se posicione com justiça sobre este assunto para ambos os lados”.

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *