Aprovado substitutivo ao PL que institui adicional de até 40% a profissionais da linha de frente da covid 19

IPATINGA – O governo municipal substituiu projeto de lei já protocolado na Câmara de Ipatinga, que adiciona até 40% de insalubridade aos servidores públicos da área de saúde que trabalham diretamente no enfrentamento a covid 19.  Com a nova redação, terão direito ao adicional os profissionais que prestam serviços no Hospital Municipal Eliane Martins, na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), no Samu, no Centro de Atendimento à Covid (Ceac), e nas Unidades Básicas de Saúde (UBS).

Conforme a proposta, o adicional excepcional se justifica pelo atual cenário causado pela pandemia e pelos níveis de contaminação, reconhecidos pelo protocolo de onda roxa, determinada pelo Governo do Estado de Minas.

A inclusão de servidores da saúde básica foi um pleito feito pelos vereadores da Casa por entenderem que estes, também, estão vulneráveis a contaminação e trabalhando arduamente.

Conforme a proposta, o servidor que já fizer jus a adicional de periculosidade deverá optar por um deles, sendo vedado o recebimento cumulativo e este adicional durará enquanto durar o estado de calamidade pública decorrente da pandemia do coronavírus”, disse o Executivo.

Para os vereadores, ainda há mais gente a ser contemplada, mas é necessário que o Executivo faça estudo de impacto orçamentário e financeiro para saber se há como contemplar novas categorias. O parlamento reconhece a importância de todos, mas se trata de uma ação exclusiva do Executivo.

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *