Discussão sobre reajuste de passagens com demissão de cobradores chega à Câmara de Timóteo

FABRICIANO  (Foto PCReis) – O presidente do Sinttrocel –Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Coronel Fabriciano, Marlúcio Negro, foi recebido nesta  terça-feira (29) pelo presidente da Câmara Municipal de Timóteo, vereador Professor Diogo Siqueira, oportunidade em que o sindicalista antecipou a intenção da concessionária do transporte coletivo de passageiros de Timóteo, de demitir cobradores dentro da proposta do pedido de reajuste de passagens. O fato foi noticiado com exclusividade pelo JBN no último dia 23.

Denominando de “tragédia trabalhista no Vale do Aço”, se o fato se concretizar, Marlúcio Negro busca apoio dos presidentes de Câmaras para que os parlamentos não façam tramitar propostas de reajuste de passagens indicando demissões de cerca de 500 cobradores. “A discussão agora é não deixar que essa matéria, caso seja apresentada nas Câmaras, venha ser aprovada”, avisou o presidente do Sinttrocel, que promete elevar o tom da discussão dentro dos parlamentos.

Marlúcio Negro voltou a informar que nas cidades de João Monlevade, Governador Valadares e uma grande parte da frota da Grande BH, as empresas já adotaram os coletivos sem cobradores, “forçando o motorista exercer a dupla função”.

APOIO

Assim como aconteceu em Fabriciano, em Timóteo, o presidente do Sintrrocel também recebeu a garantia do presidente Diogo Siqueira, que o Legislativo Timotense não votará nenhuma matéria contrária aos interesses dos rodoviários. Professor Diogo prometeu caminhar lado a lado com a categoria para que demissões sejam evitadas.

Na mesa em que discutiu o assunto, também estiveram  presentes os vereadores Fábio Campos Binha, José Fernando Peixoto e Geraldo Gualberto.

PROPOSTA

O JBN apurou na última semana que a empresa concessionária do transporte coletivo enviou a Prefeitura de Timóteo três propostas de reajuste das passagens. Duas propostas chamaram a atenção da reportagem, porque a empresa propõe redução do reajuste, mas indica que reduzirá também o número de cobradores em 50% e 100%. Somente na primeira proposta à empresa indica que manterá 100% dos cobradores, se o reajuste chegar ao patamar de 47,43%, elevando a tarifa para R$ 5,60.

VEJA O QUE PROPÕE A EMPRESA

1 – Pleito Tarifário com Cobrador em 100% da frota: reajuste 47,43% – Tarifa subiria para R$ 5,60

2 – Pleito Tarifário com redução de 50% dos cobradores e isenção de CGO e ISSQN: Reajuste de 24,47% – Tarifa Técnica de R$ 4,73.

3 – Pleito Tarifário com redução de 100% de cobradores e isenção de CGO e ISSQN: Reajuste de 13,68% – Tarifa Técnica de R$ 4,32.

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *