Audiência Pública debate no dia 25 de setembro aumento das tarifas da Copasa em Fabriciano

Adriano Martins é presidente da Câmara de Fabriciano e autor do requerimento que deu origem a Audiência Pública

Fabriciano (Fotos e Vídeo PCReis/Georgia) – Será realizada na Câmara Municipal de Coronel Fabriciano (CMCF), no próximo dia 25 de setembro, a partir das 19h, no plenário do Legislativo, uma Audiência Pública que vai debater o aumento das tarifas cobradas pela COPASA a partir do próximo mês de dezembro, depois da inauguração da Estação Unificada de Tratamento de Esgoto do Bairro Limoeiro, em Timóteo. A audiência atende a um requerimento do vereador/presidente da Câmara, Adriano Martins, convocada por causa do número de reclamações das taxas exorbitantes que serão pagas pelo contribuinte Fabricianense pelo serviço de tratamento de esgoto.

Nesta segunda-feira (16), a COPASA através dos seus leituristas, vem distribuindo um panfleto informando que a tarifa referente a todos os serviços prestados pela empresa equivale a 97,50% do que o consumidor paga pelo consumo de água no imóvel. “Isso quer dizer que esse novo serviço, referente ao tratamento de esgoto, significará um acréscimo de 50,48% em relação ao que vinha sendo cobrado pelos serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário antes do tratamento ser implantado”, informou o panfleto da empresa.

Cobrança sem o serviço

A reportagem do JBN acompanhou o presidente da Câmara Municipal, vereador Adriano Martins, ao Bairro Santa Terezinha II, no final da Rua Maria Aparecida Alves, onde inúmeras famílias convivem com o esgoto dos bairros adjacentes que vem sendo jogado in natura no ribeirão que corta as localidades.

Diante do que foi mostrado pelo presidente Adriano Martins, a taxa proposta pela COPASA não corresponde ao serviço prestado. “Recolher o esgoto das moradias, jogar diretamente nos córregos do município que correm para o Rio Piracicaba, é no mínimo um crime ambiental. Cobrar por um serviço que nunca foi feito na cidade, é algo inaceitável”, disse Adriano Martins, destacando não ser contrário ao tratamento de esgoto, mas o que não pode é impor cobranças de taxas “por aquilo que não é oferecido à população”.

Segundo Adriano Martins, bem antes de ser eleito vereador, a COPASA já estava responsável [2003] pelo sistema de esgotamento sanitário da cidade de Coronel Fabriciano. Conforme Adriano é preocupante o anúncio da empresa no que diz respeito à cobrança da taxa de esgoto a partir do próximo mês de dezembro. “O que vamos debater na Audiência Pública é de quem a COPASA cobrará a taxa, se nem todas as redes dos imóveis estão interligadas aos receptadores que levam este esgoto para a ETE do Limoeiro”, assinalou o vereador.

Estão sendo convidados para este evento, representantes da COPASA; Promotoria Pública; Prefeitos de Timóteo e Coronel Fabriciano; CODEMAS de Timóteo e Coronel Fabriciano; AMDA; Secretários de Governanças de Fabriciano; presidentes de Associações de Moradores e a imprensa do Vale do Aço.

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *