Cidades Cultura e Entretenimento Destaques 

Ipatinga pode dobrar ICMS Cultural

REDAÇÃO – A Prefeitura de Ipatinga, através da Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Lazer, vem realizando um novo processo de atualização e revisão dos inventários e tombamentos de vários patrimônios históricos e culturais do município, visando sua valorização.

Com a iniciativa, o Executivo municipal pretende preservar a memória, a tradição e a identidade de pontos turísticos da cidade, além de atender às exigências do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (IEPHA-MG), através da Normativa 06/2018 do CONEP, e assim melhorar sua pontuação no ICMS Patrimônio Cultural para 2020.

“Desde novembro de 2018”, segundo informa o secretário municipal de Cultura, Esporte e Lazer, Carlos Oliveira, “Ipatinga retomou o processo de inventariar áreas que compõem, por exemplo, o Parque Ipanema, como o teatro de arena, o catavento e o Parque da Ciência. Além disso, estão sendo elaborados também laudos do estado de conservação de bens protegidos como a Academia Zélia Olguin, no bairro Horto, e a sede do Clube Dançante Nossa Senhora do Rosário, no povoado do Ipaneminha”, detalhou.

“Para a consolidação deste projeto, arquitetos da empresa Espaço Design Arquitetura Cultural, vencedora da licitação, trabalham em conjunto com profissionais da Prefeitura no levantamento, identificação e análise de bens culturais importantes para o município, nos aspectos histórico, construtivo e simbólico-afetivo, entre outros. Após a conclusão de todas essas etapas, Ipatinga pode dobrar sua pontuação no ICMS Patrimônio Cultural, passando a receber mais recursos para preservação de suas referências culturais”, enfatiza o secretário.

O projeto, que deve ser finalizado ainda no primeiro semestre de 2019, tem um custo de aproximadamente R$ 36 mil. O valor é financiado pelo Fundo Municipal de Patrimônio Artístico e Cultural (Fumpac).

Compartilhe em suas redes sociais

Notícias Relacionadas

Leave a Comment