Consórcio poderá construir Aterro Sanitário para tratar os resíduos sólidos de sete municípios

IPATINGA – A Associação dos Municípios pelo Desenvolvimento Integrado (AMDI) promoveu, em parceria com a Secretaria de Estado de Cidades e Integração Regional, um encontro técnico para discutir a formação do Consórcio Público Multifinalitário entre sete municípios: Timóteo, Coronel Fabriciano, Marliéria, Dionísio, Jaguaraçu, Açucena e Antônio Dias.  O encontro contou com a participação do secretário de Estado Carlos Murta, do presidente da AMDI e prefeito de Timóteo, Dr. Geraldo Hilário, dos prefeitos de Dionísio, Farias Menezes de Oliveira, Marliéria, Geraldo Magela, e de Jaguaraçu, Junio Andrade, além do vice-prefeito de Timóteo, Carlos Vasconcelos e as equipes técnicas da Secretaria e dos municípios envolvidos e outras cidades da região.

Dr. Farias, prefeito de Dionísio, é um defensor da construção do aterro sanitário unificado.

“A liberação de recursos é uma maneira de resgatar a dignidade das pessoas afetadas pela tragédia de Mariana. O tratamento dos resíduos sólidos é uma questão antiga e necessária, além de ser uma exigência do Ministério Público que tem pressionados os prefeitos que, por sua vez, estão cada vez mais sem dinheiro para enfrentar tal demanda. No nosso caso, o consórcio e os recursos da Fundação Renova permitirão cumprir essa exigência necessária para o Meio Ambiente e a vida”, destacou o prefeito de Dionísio, Farias Oliveira, ressaltando a importância da AMDI na integração dos municípios.

“Mais uma vez a AMDI promove uma parceria com o Estado para municiar os municípios da região com informações importantes sobre a formação de consórcios. Hoje, em particular, estamos discutindo os resíduos sólidos e a solicitação de liberação de recursos através da Fundação Renova que gerencia os repasses da empresa Samarco a título de ressarcimento em função da tragédia de Mariana”, esclareceu o prefeito de Timóteo, citando que, em Minas Gerais, foram atingidos diretamente 35 municípios, sendo que da região três municípios afetados se uniram para pleitear os recursos: Marliéria, Timóteo e Dionísio.

Cerca de R$ 500 milhões estão sendo disponibilizados pela Fundação Renova para os municípios atingidos. Recentemente, foi aberto um segundo chamamento para que os municípios mineiros possam reivindicar recursos para a recuperação da bacia hidrográfica do Rio Doce.  Os municípios de Timóteo, Marliéria e Dionísio propuseram a formação de um consórcio público para o tratamento de resíduos sólidos.

“O Governo do Estado promoveu esse encontro para capacitar os gestores sobre o preenchimento correto dos formulários de requisição, entrega de documentos e elaboração de projetos para que os repasses possam ser liberados”, justificou o secretário de Estado, frisando sobre a necessidade desse alinhamento de informações.

Carlos Murta lembrou ainda que a opção dos municípios atingidos pela execução de obras de saneamento básico e implantação de aterro sanitário atende as exigências da legislação ambiental.  “Esse trabalho conjunto com a AMDI agilizará os processos para viabilizar o Consórcio de Resíduos Sólidos”, afirmou o secretário. Durante o encontro, foi confirmada a liberação de recursos para o trabalho de encerramento do antigo “Lixão da Ponte Mauá”, que atendia as cidades de Coronel Fabriciano e Timóteo.

(A foto de capa é meramente ilustrativa)

 

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *