A Regional Leste de Timóteo entrou em estado de alerta, com 415 notificações de Dengue e Chikungunya

TIMÓTEO – Desde o início do 2º período de monitoramento da Febre Amarela 2017/2018, foram confirmados 81 (oitenta e um) casos da doença em Minas Gerais, destes casos, 36 evoluíram para óbito e outros 208  casos continuam em investigação. No caso especifico de Timóteo, todas as notificações são referentes a Dengue e a Chikungunya. Os bairros da Regional Leste – Nova Esperança (9 casos), Santa Terezinha (8 casos), Alegre (11 casos), Alphaville (18 casos), Macuco (24 casos), Recanto Verde (82 casos) e Limoeiro com 263 casos, mantém a cidade em estado de alerta, já que o município, em especial a Regional Leste, faz divisas com o Parque Estadual do Rio Doce. Em todo o município de Timóteo foram totalizados 534 casos de Dengue e Chikungunya.

Em Ipatinga, o resultado LIRAa apontou 5,2%, sendo que em outubro, o índice era de 1,5%. Com o resultado atual, a possibilidade de surto das doenças são ainda maiores. Só esse ano na cidade foram registrados 27 notificações de dengue e nove de chikungunya. Os bairros mais infestados são Bom jardim, Ferroviários, Horto, Industrial e Usipa, onde a infestação chega a 12,5%, e os principais locais de infestação são as próprias residências.

Em Coronel Fabriciano também teve aumento nos índices de infestações. Em outubro de 2017, o resultado na cidade foi de 1,1%, mas no último levantamento do LIRAa divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde no último dia 23 apresentou um aumento, passando para 2,5%.

MONITORAMENTO NO ESTADO

No período de monitoramento 2016/2017 (julho/2016 a junho/2017) foram registrados 475 casos confirmados de Febre Amarela no estado de Minas Gerais, sendo que destes, 162 evoluíram para óbito. O último caso confirmado teve início dos sintomas no dia 09 de junho de 2017.

Do total de casos confirmados, 77 (95,1%) são do sexo masculino e 04 (4,9 %) do sexo feminino. Todos os casos foram confirmados laboratorialmente. Até o momento, não há relato de vacinação para a Febre Amarela entre os casos confirmados. A média de idade dos casos confirmados é de 47  anos (15 – 88 anos). A letalidade por febre amarela em Minas Gerais no período de 2017/2018 é de aproximadamente 44,4%

Foram considerados casos confirmados aqueles que apresentaram:

  • Exame laboratorial detectável para Febre Amarela;
    • Exame laboratorial não detectável para dengue;
    • Histórico vacinal (não vacinado/vacinação ignorada);
    • Sinais e sintomas compatíveis com a definição de caso;
    • Exames complementares que caracterizam disfunção renal/hepática.

Atualmente, a cobertura vacinal acumulada de febre amarela no Estado de Minas Gerais está em torno de 83%. Ainda há uma estimativa de 3.299.174 não vacinados, especialmente na faixa-etária de 15 a 59 anos, que também foi a mais acometida pela epidemia de febre amarela silvestre ocorrida em 2017. Entre os 853 municípios do estado, 36,22% (309) deles não alcançaram 80% de cobertura vacinal; outros 34,11% (291) dos municípios têm entre 80% e 94,9% de seus moradores vacinados; com mais de 95%, estão 29,66% (253) das cidades mineiras com recomendação de vacinas.

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *