sexta-feira, julho 19, 2024
DestaquesMeio Ambiente

Investimentos em saneamento no Vale do Aço e redondezas beneficiarão 315 mil pessoas e somam R$ 68 milhões

Primeira etapa das obras de saneamento em Dionísio vai beneficiar 2.600 pessoas. Ainda, Ipaba, Bugre e Belo Oriente são algumas das nove localidades que também recebem obras  para melhor qualidade da água

REDAÇÃO – A Fundação Renova e a Prefeitura de Ipaba (MG), na Região Metropolitana do Vale do Aço, assinaram a ordem de serviço para a construção do sistema de esgotamento sanitário (SES) do município. Com entrega prevista para 2024, a obra terá estação de tratamento de esgoto (ETE) com capacidade de beneficiar cerca de 10,5 mil pessoas.

A implantação está orçada em R$ 13 milhões, dos quais R$ 12 milhões serão repassados pela Fundação Renova em 2023 e 2024. Até abril, já haviam sido repassados R$ 1,6 milhão. Serão construídos 13,3 quilômetros de extensão de redes, e a vazão do sistema será de 57 litros por segundo.

Duas novas obras de saneamento também acabam de ser iniciadas no Vale do Aço. Em Bugre, mais de 6 mil pessoas serão atendidas. Orçada em R$ 3,8 milhões, a rede do município terá extensão de 5,3 quilômetros e ETE com capacidade de tratamento de 5,5 litros por segundo.

Já o sistema do distrito de Perpétuo Socorro, também conhecido como Cachoeira Escura, no município de Belo Oriente, tem como previsão beneficiar 9,7 mil habitantes. O investimento projetado é de R$ 14,8 milhões para as obras, que incluem uma extensão de 8 quilômetros de redes e ETE com capacidade de vazão de 18 litros por segundo.

Obras em fase avançada

Além dos Sistemas de Esgotamento Sanitário (SES) de Ipaba, Bugre e Belo Oriente há outras obras de tratamento e coleta de esgoto e destinação de resíduos sólidos em implementação ou implementadas pela Fundação Renova na região do Vale do Aço e redondezas. Ao todo, estão sendo investidos aproximadamente R$ 68 milhões em empreendimentos que irão beneficiar cerca de 315 mil pessoas na região, em nove localidades. A iniciativa irá contribuir para a melhoria da qualidade da água do rio Doce.

Com 90% das obras finalizadas, a ETE do distrito de Baixa Verde, em Dionísio, também será de grande importância à população. O sistema terá capacidade de vazão de 4,6 litros por segundo e vai beneficiar 2,5 mil pessoas. O orçamento total é de R$ 2,7 milhões, repassados pela Fundação Renova por meio do BDMG.

Em São Domingos do Prata, município nas redondezas de Dionísio e São José do Goiabal, a construção do SES tem conclusão prevista para 2024. A obra abrange redes de esgoto e ETE com capacidade de atender a 9,7 mil pessoas e uma vazão de 8,2 litros por segundo. A Fundação já repassou mais de 50% do custeio, orçado em R$ 9,9 milhões.

Também há construções em andamento em Córrego Novo, Ipatinga e Marliéria. Em Ipatinga, município de aproximadamente 265 mil habitantes, são três obras de ampliação da rede de tratamento de esgoto, orçadas em R$ 13,5 milhões, nos bairros Granjas Vagalume, Horto, Limoeiro, Vila Celeste e Jardim Panorama (na Avenida Maanaim). A estrutura vai permitir que o esgoto seja coletado e conduzido adequadamente à ETE já existente, beneficiando diretamente 60 mil pessoas.

“Mais de 60% do repasse de recursos, a exemplo do bairro Limoeiro, estão finalizados, e a entrega tem previsão de ocorrer ainda em 2023”, informa a especialista em Saneamento Ambiental da Fundação Renova, Cynthia Franco Andrade.

Em Córrego Novo, a Fundação Renova investe R$ 4,7 milhões no sistema da sede do município, incluindo redes coletoras, interceptores e ETE. A entrega, prevista para 2023, deve beneficiar uma população de cerca de 2,3 mil pessoas.

Dentre as ações para destinação correta de resíduos sólidos, a Fundação Renova ainda repassa recursos para a reforma de ampliação da usina de triagem e compostagem (UTC) do distrito de Cava Grande, no município de Marliéria. Orçada em R$ 400 mil, a obra será uma alternativa viável à destinação de resíduos sólidos no distrito e vai beneficiar cerca de 5 mil pessoas.

Sistema concluído e em funcionamento

São José do Goiabal, em abril de 2019, foi o primeiro município atingido pelo rompimento da barragem de Fundão, em Mariana (MG), a receber autorização para o início das obras. A ETE de vazão de 8,4 litros por segundo foi finalizada e entregue em julho de 2021. Atualmente, está 100% em operação, beneficiando cerca de 5 mil habitantes. O custo de R$ 5,3 milhões teve recursos da Fundação Renova e da Fundação Nacional de Saúde (Funasa).

Sobre a Fundação Renova

A Fundação Renova é uma entidade de direito privado, sem fins lucrativos, constituída com o exclusivo propósito de gerir e executar os programas e ações de reparação e compensação dos danos causados pelo rompimento da barragem de Fundão.

A Fundação foi instituída por meio de um Termo de Transação e de Ajustamento de Conduta (TTAC), assinado entre Samarco, suas acionistas Vale e BHP, os governos federal e dos estados de Minas Gerais e do Espírito Santo, além de uma série de autarquias, fundações e institutos (como Ibama, Instituto Chico Mendes, Agência Nacional de Águas, Instituto Estadual de Florestas, Funai, Secretarias de Meio Ambiente, dentre outros), em março de 2016.

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *