UNIVAÇO CAPACITA 419 TRABALHADORES DA REDE PÚBLICA DE SAÚDE DE IPATINGA

IPATINGA – A contaminação e as mortes pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2) em Minas Gerais mais do que dobraram o ritmo em 2021, na comparação com o período entre o fim de 2020 e o pico da primeira onda, em junho de 2020, segundo dados das secretarias municipais de saúde.

Com 9.367 óbitos por covid-19 em abril, o estado de Minas Gerais viveu o pior momento da pandemia. Os números representam aumento de 62,4% em relação Março. A informação é da secretária estadual de saúde, que atribuiu a alta disseminação do vírus à circulação de novas cepas, como as variantes de Manaus e do Reino Unido.

O patamar contínuo em nível elevado da ocupação de nos últimos meses nos ajudam a entender a aceleração, principalmente quando se observa o perfil dos doentes, segundo médicos especialistas. Os internados com menos de 60 anos nos dois setores crescem mais rápido e são maioria nos hospitais. A conta é que com a queda da idade, o tempo de permanência aumenta, consequentemente menos leitos ficam disponíveis para o mesmo número de pacientes graves.

Segundo o boletim epidemiológico da prefeitura de Ipatinga (https://www.ipatinga.mg.gov.br/coronavirus), foram registradas 149 mortes em abril, por causa do vírus ou decorrentes de suas complicações. Um aumento de 31,85% se comparado ao mês de março. E foi pensando em minimizar a ocupação nos leitos destinados ao tratamento do Covid-19 que a UNIVAÇO, Faculdade de Medicina do Vale do Aço, decidiu oferecer a Secretaria Municipal de Saúde de Ipatinga a oportunidade de qualificação dos profissionais que estão na linha de frente do combate à Covid-19.

Durante todo o mês de abril, e a primeira semana de março, mais de 400 profissionais da rede pública, dentre eles, médicos, enfermeiros e técnicos em enfermagem ligados ao Hospital Municipal Eliane Martins (HMEM) e à Unidade de Pronto Atendimento (UPA),  passaram pelas instalações da UNIVAÇO em busca aprimorar seu conhecimento neste treinamento que teve como foco a redução dos números de pacientes fatais e também de danos permanentes causados pela doença.

Liderado pela Coordenadora Adjunta da Univaço, Mariana de Souza Furtado, PhD e médica especialista em endocrinologia, o treinamento, teórico/pratico, contemplou os procedimentos de avaliação inicial, reconhecimento da gravidade, intubação, instalação da ventilação mecânica além de tratamentos com embasamento científico proposto para tal situação.

“Por possuirmos um Centro de Simulação Realístico moderno e altamente equipado, além de uma equipe totalmente capacitada para treinamento de emergências, entendemos que este era um ótimo momento para ofertar um curso de qualificação para profissionais que estão na linha de frente. Como houve um aumento na demanda por leitos hospitalares, houve também a necessidade de ampliação da oferta de médicos e demais profissionais de saúde. Para atender a esta demanda alguns profissionais saíram de outros níveis de atenção (Unidades de saúde, por exemplo) e foram direcionados para os serviços de urgência e emergência. Neste sentido a capacitação foi extremamente importante. Aqui pudemos propiciar aos profissionais da saúde uma experiência de atendimento em situações simuladas guiada por tutores, em bonecos hiper-realistas, que simulam um paciente infectado com o vírus, bem como treinar inúmeras habilidades técnicas e sanar dúvidas, permitindo que o cada um deles possa realizar um atendimento em situações real mais eficiente e assertivo.” Ponderou Mariana.

Barbara Bitencourt, médica que atua UPA de Ipatinga e na UTI Covid no Hospital José Maria de Morais em Coronel Fabriciano destacou a importância do treinamento. “

“O treinamento é fundamental para toda equipe multidisciplinar que trabalha no atendimento ao paciente critico do COVID, e também uma forma de fortalecer o vínculo da equipe. Médicos, enfermeiros e técnicos, além de resgatar a educação continuada, atualizando a todos com as medicações, doses, e o que vem sendo usado nos protocolos atuais. Todo profissional que trabalha com casos suspeitos de Covid, ou confirmados, deveria ter oportunidade de realizar um treinamento deste nível, com toda a parte teórica e prática. Aqui pudemos simular intubação e todo processo de atendimento ao paciente, o que torna melhor rotina e fundamental para podermos aprimorar nossa prática.”

Para o Diretor Geral da UNIVAÇO, Professor Vinícius Lana, a UNIVAÇO cumpre um importante papel social. “Queremos investir em nossos processos e na operação para, além de formarmos médicos qualificados, participarmos efetivamente do processo de educação continuada dos trabalhadores de saúde do município e da região. Ofertas de cursos como esta devem fazer parte de nossas políticas apoiando o aprimoramento profissional e a melhora da assistência à saúde da população”.

Até o momento, Minas Gerais já teve 1.387.809 pessoas com teste positivo para a Covid-19, sendo que 9.264 delas foram notificadas ao estado somente nas últimas 24 horas.  Nesta quarta-feira (5), segundo o governo estadual, 3.517.091 mineiros receberam a primeira dose de vacina contra a Covid-19. A segunda dose, que garante a imunidade completa, foi aplicada a 1.787.843 pessoas.

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *