Para não perder mais profissionais na área de saúde, Fabriciano propõe pagar insalubridade

Fabriciano tem perdido profissionais para outras cidades e para o setor privado, “tendo em vista a baixa remuneração ofertada pelo Município” na área de saúde

FABRICIANO – A Câmara Municipal de Coronel Fabriciano (CMCF) aprovou na última segunda-feira (5), por unanimidade, o Projeto de Lei nº 3.157/2021, do prefeito Marcos Vinicius da Silva Bizarro (PSDB), que cria gratificação de até 40% ao profissional de saúde e a fixação, no grau máximo também de 40%, de insalubridade no enfrentamento à covid-19.

A medida contempla trabalhadores, direta e indiretamente envolvidos no combate à pandemia, que extrapolarem o dimensionamento previsto no Conselho Regional de Enfermagem de Minas Gerais (Coren/MG) e Conselho Regional de Medicina do Estado de Minas Gerais (CRM/MG). A lei terá eficácia enquanto durar a decretação de calamidade pública em saúde na cidade, podendo se estender enquanto houver enfrentamento à covid-19 que interfira no tempo de resposta do sistema de saúde local.

Escassez

O prefeito justificou a apresentação da proposta dizendo que a mão de obra na área da saúde está, atualmente, escassa, e que a Administração Municipal tem perdido profissionais para outras cidades e para o setor privado, “tendo em vista a baixa remuneração ofertada pelo Município”.

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *