Situação funcional do Vital Brazil de Timóteo vai parar na justiça

O prefeito Douglas Willkys acredita que na próxima semana a situação seja resolvida. “As equipes jurídicas estão tratando este assunto com todo respeito que a população merece”.

Timóteo – Nesta sexta-feira (4) o prefeito Douglas Willkys e o vice-prefeito José Vespasiano Vespa, passaram o dia em conferência online com representantes da Secretaria Estadual de Saúde, objetivando resolver a situação funcional do Hospital e Maternidade Vital Brazil, até então pendente devido ao fim do contrato entre o São Camilo e a empresa Aperam – proprietária do imóvel.

No fim da tarde deste sábado (5), o prefeito Douglas Willkys, publicou um vídeo tranquilizando a população. Segundo ele, o contrato do imóvel entre o São Camilo e a empresa Aperam vence no próximo dia 10 de setembro. Já o contrato entre o Estado e o São Camilo, renovado em dezembro de 2019, vence em dezembro de 2023, e até o momento, não foi assinado nenhum distrato.  “A Prefeitura e Governo do Estado estão trabalhando juntos para manter judicialmente este contrato, no mínimo até o final da pandemia ou até que uma transição seja realizada sem prejudicar a comunidade e os funcionários do São Camilo”, informou o prefeito, afirmando que “sem dúvida este é o melhor caminho deste difícil momento da saúde pública do nosso País, em função da pandemia”.

Fontes ligadas a Superintendência Regional de Saúde de Coronel Fabriciano, informaram ao JBN, que a situação de funcionamento do Vital Brazil será mesmo judicializada para que o contrato entre o São Camilo e o Governo Estadual  seja cumprido pelo menos até que uma nova gestão possa ser escolhida.

IMBRÓGLIO

Este imbróglio que colocou em risco o funcionamento do hospital em Timóteo foi criado porque a nova mantenedora – Hospital Vera Cruz, escolhida pela empresa Aperam, não  preservou o atendimento público de saúde da população local pelo SUS, fato denunciado pelo Ministério Público de Minas Gerais e acatado pelo Juiz de Direito Maycon Jésus Barcelos, da 2ª Vara Civil da Comarca de Timóteo. O magistrado determinou a suspensão do contrato de comodato firmado entre Aperam e o Hospital Vera Cruz.

 

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *