Congresso de Educação reúne em Ipatinga representantes de mais de 15 cidades de MG

Ipatinga – Com ricas programações durante dois dias, desde segunda-feira (18), no teatro do Centro Cultural Usiminas e Ipaminas Esporte Clube, o Congresso “Educação em Ipatinga: Integrando as Diversas Inteligências” é marcado pela presença massiva de profissionais da área representando mais de 15 cidades de Minas Gerais.

Na abertura oficial, o público foi agraciado com apresentações da banda de música da Escola Municipal Cantar e, também, do sósia do mundialmente conhecido Elvis Presley, interpretado na ocasião pelo artista Rogério Cordoni. Em seguida, o prefeito anfitrião, Nardyello Rocha, deu boas-vindas aos presentes e reforçou a importância da cidade sediar um evento de tamanha envergadura. “O tema abordado no primeiro dia do congresso, Educação em Foco, tem tudo a ver com o momento que a cidade está vivendo, porque a atual gestão mantém, concretamente, um olhar diferenciado e especial para a educação. Isso porque acredito que somente haverá mudanças na sociedade se investirmos nos estudos das nossas crianças. E assim temos feito. Aumentamos o número de estudantes em Tempo Integral de 1.000 para 5.500 e há pouco implantamos o reconhecimento facial, por meio do qual o aluno chega à sala de aula e faz seu registro de presença diante de um aparelho. Enfim, não temos medido esforços para elevar a educação de Ipatinga a um nível de excelência nacional, e esse evento que conta com parceiros renomados também é uma comprovação dessa linha de trabalho”, sintetizou.

Também estiveram na abertura oficial do Congresso os prefeitos Marcos Vinícius Bizarro (Coronel Fabriciano) e Luzia Teixeira (Santana do Paraíso), além da secretária de Educação de Ipatinga, Eva Sônia Rodrigues.

A Secretaria Municipal de Educação realiza o evento em parceria com a Google, a empresa GetEdu e o Sistema de Ensino Aprende Brasil.

Palestras

As palestras do congresso tiveram como um dos objetivos proporcionar um novo estágio de evolução aos educadores e demais agentes da comunidade escolar, além de colocar em evidência o novo modelo de educação sintonizado com as novas tendências mundiais e tecnológicas.

O primeiro a palestrar no Centro Cultural foi o professor Robson Lima, referência em palestra-show, especialista em Língua Portuguesa, Literatura, Leitura de Múltiplas Linguagens, Relacionamento Interpessoal e Crítico Literário. Em seguida foi à vez do jornalista e professor livre-docente na área de Ética da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP), doutor Clóvis de Barros Filho. Ele abordou o tema “A Vida Que Vale a Pena Ser Vivida”, que é também o título de uma de suas importantes obras.

No Ipaminas Esporte Clube, o professor Robson Lima se apresentou novamente e abordou o tema “Decifra-me ou devoro-te”. O foco de sua mensagem é um alerta aos professores sobre como anda o desempenho acadêmico, de que forma cada área do conhecimento e cada segmento de ensino pode atuar para evitar que o leitor seja devorado pelo analfabetismo funcional. O conteúdo também auxilia os educadores a mostrar aos alunos o mundo por detrás das letras, multiplicando os resultados de compreensão.

Exposição

O congresso também foi uma forma encontrada pela Secretaria de Educação de comemorar e homenagear os professores pelo dia dedicado à profissão, que é celebrado no calendário cívico de datas no mês de outubro. E para valorizar e reconhecer ainda mais o trabalho dessas profissionais da rede municipal, durante a programação no Ipaminas um grupo de escritoras independentes da região expôs suas obras ao público.

Formado por professores da ativa e também aposentados, o grupo de cerca de 30 autoras, conhecido como Escritores do Vale, montou estandes e divulgou livros especialmente destinados ao público infantil.

“Ficamos muito felizes de receber o convite da Secretaria de Educação para participar desta exposição, porque tivemos a oportunidade de apresentar os nossos trabalhos num ambiente bastante amplificado. A obra precisa chegar até as escolas, para se comunicar com o público a que se dirige, senão do que adianta a publicação dos livros? Gratidão é a palavra que define esse momento”, disse a professora de História da rede municipal e autora de cinco livros, Roberta Rocha.

 

 

 

 

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *